quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Calor é minha bunda no cascão.

Admito que fico me remoendo de ver nosso blog jogado as traças depois de tantos anos de empenho. Não que seja falta de assunto, falta de consideração, foi uma procrastinação virtual que se tornou mais evidente depois que surgiu o tuíter. Não sentimos mais necessidade de fazer redações sobre nossas aventuras diárias, era tão mais fácil e acessível postar pros novos assíduos followers. Considerações - com uma pitada de desculpas - à parte, eu amo muito mais quem lê aqui, que fique claro.

Eu to com a minha mania de loucona de novo. Limpar tudo. Jogar tudo fora. Aprender coisas novas. Odeio essa síndrome de ano-novo-to-entediada-de-férias que me invade todo começo de ano (lê-se antes de começar as aulas). A princípio parece uma epifania que se torna entusiasmo, caos e iminente fracasso. Quero fazer faxina de madrugada, assistir 3 filmes por dia até meu cérebro não saber mais discernir Nia Burton de Tim Vardalos. E por Deus, Nia Vardalos, eu imploro: pare de dirigir filmes. E mais importante, pare, PARE (suplicando) de atuar. Para com esta porra. Só para.

Aproveitando a raiva que eu estou sentindo por lembrar que eu assisti 3 filmes dela no último mês (não aprendo), vou aceitar o risco da rejeição ao expor minha indignação com "reclamadores de tempo". Para você que está perdido, te explico melhor. São aquelas pessoas que nunca estão felizes com o tempo (em relação a clima). Chove demais, sol demais, muito fresco, muito abafado, frio pra cacete, POR QUE ESSE CALOR DE MERDA, SOL MORRA! Senhores, não sejamos hipócritas, naquele momento que você se encontra no metrô, no sol de rachar mamona do meio dia, dividindo um vagão com outras trocentas pessoas tão estressadas, suadas e impacientes como você dá vontade mesmo de ir pro Alasca, Finlândia, ou Berk onde neva por 9 meses e os outros 3 tem geadas. Mas parem com essa ladainha de "ai eu não nasci pra calor" "ai por isso que o Brasil não presta" "ai ai ui ui calor mimimim calor não aguento". Nenhum brasileiro aguenta dez minutos de neve no baço. Fomos criados comendo arroz e feijão pelando no calor de 32 graus dentro de casa, comendo queijo quente misturando com areia e fezes caninas na praia. Chega, cara. To rabugenta ne. Desculpa pros reclamadores de tempo. Já fui uma. Percebi como é irritante. Parem de me irritar.

E pra você que ta aí,com calor pra caralho:
se fode ai

Nenhum comentário: