segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Rob Pattison


Riso gostoso.

Foquem no OLHAR dele.

ROBERT PATTISON, vampiro másculo, romântico e com o cabelo desengrenhado mais fabuloso já visto EVER também é cantor. O cats canta, atua e não lava o cabelo. Assim como tem preguiça de fazer a barba e de manter a higiêne pessoal diariamente. Resumindo: eu quero/dava banho.
Sem contar o sotaque inglês não tão carregado e olhar que ele dá vindo de baixo pra cima que ele dá que, ui, dá coisinhas.

Ray-ban, por favor, não saia do rosto do Rob.


Tipo, OI SOU GOSTOSO.

No maior estilinho Paolo Nutini (outro deus da velha ilha britânica)



No maior estilo tepegodepois

Morri

Foi demasiado difícil encontrar uma foto do meu deus do ano daqui-até-a-eternidade que não esteja photoshopada. DICA: galere de 13 anos OU MAIS que não tem noção de como deixar a photoshopada no macho mais sexy: ROB só fica sexy quando em photoshopagem vampirística. SÓ, eu repito, só quando vampiro. Não me venham com raiozinhos, estrelinhas, corações cintilantes e ursinhos com potes de mel gruados na barriga: NÃO. Pattison não fica mais sensual com esses efeitos de gente de 13 anos (ando numa antipatia com gente de 13 anos que vo te contar). Deixem ele assim, sem banho, sem maquiagem virtual, sem corações. Deixem Rob totalmente NU de efeitos. Adoro homem com cara de sujo e de drogado - não que ele precise SER SUJO E TROGADO. Percebam a extensa, quilométrica diferença entre SER e PARECER.

To apaixonada.

Agora, o olhar que vem de baixo: é disso que eu to falando:

 
risosmil



Eu não consegui decidir entre uma foto ou outra, tive que postar um álbum.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Booooo-ring.

Estou com vontade de escrever. Pensei até mesmo numa coisa meio poética vendo o Homerzinho deitadinho, todo sexy na caminha dele esperando eu tomar vergonha na cara pra tomar banho, dormir e não atrapalhar seu sono de beleza. Se eu tivesse o dom desses novos escritores de fanfics, juro que eu me abria por demais, mas infelizmente não me considero uma pessoa muito indicada para modificar, inventar e além disso comover as pessoas com um texto de 12 linhas ao dia, não entendo porque a Jé concordou em ter esse blog comigo, não sou uma pessoa confiável em quesito frequência de postagens, mas creio que ela já sabia dessa minha fraqueza, tendo em vista que apenas 5% dos posts - lindos - são meus. É o máximo que eu consigo, sinceramente. Vide minhas redações (invejáveis) de vestibular. Eu não sei escrever mais de 7 linhas sem enxer linguiça, falar merda ou me abrir. Não sei, não foi falta de tentarem me ensinar. Praticamente em todas as correções dos meus textos escolares tinham notinhas pessoais da professora nada agradáveis sobre minhas tentativas fracassadas de argumentação e explicação. Por isso tiro meu chapéu pra esses colunistas que conseguem trabalhar agitadamente sob pressão, tomando voadoras dos editores e escrevendo maravilhosamente com uma bazuca mirando os dedos, e ainda assim conseguindo manter o foco. Talvez seja por isso que eu desisti sem lutar do meu projeto de carreira jornalística, prefiro associar uma figura a uma frase, fazer 6 pessoas - idiotas - rirem e outras 6 pensarem: e pagam gente pra fazer isso?.Eu posso simplesmente dar um tapinha e concluir em 2 minutos o melhor trabalho publicitário worldwide, mas não posso dar 89 tapas e escrever um livro - exclua Macunaíma desse desencadeamento de idéias, senão eu perco o argumento, de novo. Enfim, ser jornalista dá muito trampo, e todo mundo sabe que coisas que exigem muita mão-de-obra não são bem minha praia. (Chefinho, se você estiver lendo isso, desconsidere, só falo isso pra agradar a gentalha, eu adóóóóro trabalhar, principalmente se for pra você s2).
Só não escrevo mais porque 1)já comecei escrevendo bosta e não estou no clima de aborrecê-los mais ainda com uma conclusão, 2)gastei o resto das minhas forças corrigindo pelo menos uns 23 erros gramaticais no texto de 60 palavras, 3)meu limite de linhas já ultrapassou e 4)são 5:30 da manhã.

Fica a dica Jéssica =*

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Eu tenho família em Minas Gerais, e sabe como é, mineiro é tudo loco de pinga/broa/pão de queijo. Estávamos em umas 7 pessoas sentadas em volta de uma mesa na casa da minha tia na serra e entre essas pessoas um primo meu de uns 9 anos. Estávamos comentando que minha tia (mãe dele) que tinha feito deli-ci-o-sos bolinhos de chuva já podia casar (risos, ela já é casada), ele se manifestou muito cruelmente se referindo a mim e a minha prima com um nada sutil balançar de pestanas: "É, tem duas aqui que já estão velhas, tá na hora de casar já, se não fica encalhada que nem a minha tia X (privacidade é tudo né benhê, mas é tia dele, e não minha, as minhas são todas gatinhas e casadinhas)".
Fiquei chocada. Olhei pra minha prima, ela olhou pra mim, eu olhei pra minha mãe, pra minha tia, e todo mundo pareceu assentir com o olhar. Era de mim mesmo que ele estava falando.
Feito o estrago, eu passei o dia pensando sobre isso - é, nas férias nunca se tem coisas importantes pra fazer - e constatei que putamadre, criança é uma merda. Vivem crescendo e jogando na sua cara que você agora é prima velha excluída das conversinhas teens e dos joguinhos injustos de queimada, posso esquecer "caldinho" na piscina e fogueira com salsicha. Aí eu comecei a notar eles também, todos gayzinhos com seus gelzinhos no cabelo e peitinhos e conversinhas e nhenhenhe. E olha tenho uma renca de primos por parte de pai,maioria entre 10/14, senti eles me censurando quando eu quis me infiltrar no jogo de detetive deles. Gente, eles me acham velha. Eu nem saí de casa ainda e já estão querendo empurrar aliança no meu dedo? Essa é realmente uma parte que me toca. Fiquei sentida.Não consegui nem ao menos dar título, nem TÍTULO. Eu sempre fui boa pra títulos. Fim.

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Capricho Awards


Fui olhar meus emails no hotmail, coisa que nunca faço - tenho uns 17444 emails pra ver lá 17443 são spam, oi-, e aí abri o da Capricho Newsletter (tenho 13 anos, ahaza) E FUI VER LÁ  NO SITE deles (muito mulherzinha por sinal, escorre mel daqueles ursinhos carinhosos versão anos 2000) o Capricho Awards, coisa que quando eu tinha 13 anos e babava era DEVERAS interessante pra mim. Hoje tenho 18, babo, mas isso não é mais interessante pra mim: é só motivo de risosmil. 
Agora, selecionem lá MÚSICA - CANTOR NACIONAL. Analizem o videozinho. ANALIZEM primordialmente os escolhidos. Desde o tempo que eu tinha 13 anos e babava e pintava as unhas de preto sagradamente DINHO OURO Preto era cotado como um dos melhores cantores. PELAMORDEDEUS meninasdetrezeanosquebabam, não dá. Arrumem outro cantor, votem no Di FerreroRocher DUAS vezes mas troquem o disco, não dá. Dinho Ouro Preto é muito lastweek bee. E Samuel Rosa? E PIOR: CLAUDIA LEITE como mais estilosa. Sem contar Brad Pitt e Gianechini sendo os atores mais in de 2008. Giane era IN quando namorava a Dieckman doente em Laços de Família NÃO HOJE EM DIA GALERE. E BRAD NÃO É MAIS um ator de 14 anos que vc pendura fotos no seu quarto, por deus, ele já tem uma tribo afro americana em casa, não tem tempo pra vocÊs amores. Sem contar a Jolie (adoro) sempre nas listas. Olha, eu acho que a galerinha de 13 anos tem que inovar.
Tipo, ler outra coisa além de Harry Potter. Assistir outro filme que não HighSchoolMusical - o ZAC É MUITO HOMOSSEXUALZINHO. Em suma, os TOPTOPTOP 08's são SEMPRE do RBD, HSM e artistas lastweek. Valhamedeus. A inclusão digital não ensinou nada pra essas crianças.
CANTOR INTERNACIONAL DO ANO: JUSTIN!
taqueopariu, em 2003 Justin estava em voga, não hoje. Hoje é tipo Mallu Magalhães (risos).

A ÚNICA escolha que eu aprovei foi a de Cantora dos states: BRITNEY. Previsível mas muito dígno. Vo ouvir Piece of me pra comemorar (melhor musica dos states, rs)


Agora me respondam  que tipo de teste NONSENSE é esse?

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Chegou arregaçando, esse 2009. Óbvio.


É com grande alegria que eu anuncio minha - não tão - triunfante comeback ao blog.Tenho acompanhado os posts de Jézinha de acordo com a disponibilidade de um computador, mas até o presente momento não tive o prazer de fazer meu primeiro post de 2009. E quebrei assim um hábito que por muito tempo nutri grande satisfação em ter: postar em datas comemorativas. Estive ocupada demais cobrindo meu banco de ônibus com saco plástico com a finalidade de impedir um segundo atentado a minha saúde capilar. Piolhos a parte, estou muito feliz por deixar essa vida cigana e me fixar por pelo menos duas semanas na casa da minha avó, comendo pães de queijo padoca-made (risos), tortas de palmito entre outras formas de descer a serra rolando. Tive que reservar esse tempo de renovação hibernando pelo menos 15 horas ao dia, jogando mau-mau e se me permitem a falta de sensibilidade matando a saudade do caralho que eu tava da galerinha do mal. (Nem sei desde quando me importei por falar caralho no blog, acho que estou virando uma mocinha).
Passei a virada de dourado (BUFUUUNFA), tomando uma batidinha de leite com algum outro ingrediente que prefiro nem saber, só na chuva na chapinha e cantando traveco music (em homenagem ao Tio Osv).
Então deixo a vocês apenas minhas mais sinceras felicitações e um afago por trás.Ah, quase ia me esquecendo, o rapaz da foto, ah, em breve eu falo dele. Por ora fica só na imaginação.

domingo, 4 de janeiro de 2009

Toranja, oi

Depois de ler isso (e rir, claro) eu fui procurar o que era a tal da Grapefruit e ela é mais conhecida como TORANJA. O Google também me disse que aumenta em 30% o risco de câncer de mama nas mulheres (ihopeso). Agora me diz qual o prazer em comer uma fruta que você chama de toranja e é malvadinha desse jeito?

Sarcasmo, oi

Só sou feliz sendo sarcástica. Até quando eu falo sério eu uso o sarcasmo (senão a metáfora) pra dizer o que eu quero sem dizer explicitament.e Vejamos: eu quero dizer alguma coisa, mas eu não quero dizer DIZENDO, ou seja, ora quero fazer o público (oi, rs) pensar, ora eu quero fazer eles de bobos. Ok, não de BOBO literalmente (viram como eu não sei dizer coisas) mas confundir, sacas? E o que é o sarcasmo senão a pura confusão da mente. Até a minha fica confusa e olha que eu a entendo muito bem. Só não entendo o porque de eu esquecer tanto as coisas - minha memória é uma COIIISA. Tipo, eu nem lembro direito qual eu era minha intenção com esse post. Acho que era dizer só uma frase, mas eu, profeta como sou, escrevi um capítulo.

É ISSO

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Vamps pra vida!

EU PROMETI a mim mesma, sim, que iria mudar o layout desse blog que não está nada cats, mas não deu tempo. Quer dizer, tempo eu até tenho (de sobra!), mas eu foquei meu dia na intenção de ir ao cinema. Sozinha – eu adoro! Eu queria ter feito isso antes do Natal, ou Ano Novo, não lembro, mas não tinha nenhum filme bom passando, e Madagascar eu já tinha olhado (me esbaldo com esse filme). Hoje também não tinha. Eram os mesmos filmes de um mês atrás (o cinema aqui é particularmente fraco, uma vez que essa é a maior cidade de SC. Mas isso são só detalhes, rs) mas eu TINHA que sair de casa. Essa coisa de mudar de cidade e não conhecer nada nem ninguém é meio perturbante às vezes, ou instigante porque você tem que ir lá e fazer as coisas sozinha – e agüentar os olhar repressores das pessoas se perguntando “será que essa pobre coitada não conhece ninguém, é encalhada, muito chata ou tem herpes? P00Rgrl”.

Bom que seja, o fato é que às 19 horas teria Crepúsculo ou Marley e Eu. Eu detesto filmes surreais, mas eu detesto mais ainda filmes com animais amestrados. Minha escolha, obviamente, foi Crepúsculo e eu não dava NADA pelo filme. Em primeiro lugar porque de início eu tenho uma certa aversão a essas coisas que todo mundo comenta, todo mundo olha, todo mundo come. Eu não quero ser aquele todo mundo que olha o tal filme porque todo mundo ta olhando o tal do filme TEEN. Eu quero olhar o filme ou porque não tem mais nada no cinema ou porque, hello, chegou a hora de olhar – uma coisa meio destino, coisa de momento, momento certo de ser, ver, ter tal coisa.

Eu entrei na sala de cinema perplexa comigo mesma por estar sentada ali comendo pipoca salgada da cinema (adoro) esperando iniciar o filme. Mas, gente, eu não vou contar o enredo, e nem quero ficar influenciando ninguém nesse mundo a ficar olhando o filme pq todo mundo ta dizendo OLHA MIGS É LINDO HEHE. Não, mas na minha sincera opinião o filme é, de fato, lindo. É lindo mesmo. A história é totalmente envolvente (e olha que são longos 120 minutos de filme) e eu desejei enquanto assistia que ela nunca acabasse. Eu fiquei tão fascinada com a história em si, e esse negócio de amor proibido e resignação pelo outro que eu nem gravei os nomes dos personagens. Sendo assim, eu só tenho a dizer que eu preciso ler o livro Crepúsculo e aguardar pelo próximo filme. E eu devo ressaltar que, se vocês que não olharam, estão achando que um tipo de enredo macabro envolvendo sangue, sangue, alho e balas de prata, não é. É romantismo puro e eu confesso que nem se parece tão surreal. Eu aprovo o filme! Sem contar que os vampiros são lindos, LINDOS de morrer. Principalmente o ED e o outro irmãozinho cats dele. Bem do jeitinho que eu gosto: brancos, magérrimos (ah nem tanto) e totalmente envolventes.

DEU!

Neon pra vida

Amanhã eu juro só pra mim e por mim que eu vou deletar esse layout/template desse blog. CANSAY desse clima méxico decadente. Eu juro juro juro juro que tento aprimorar meus (d)efeitos no photshop-gay mas eu não to conseguindo me concentrar. TENHO 80 milhões de idéias na minha cabeça (quase que) despreocupada mas eu não seeeeeeeei pôr no photoshop-gay. Eu quero tipo uma coisa neon. Adoro neon. To numa fase ÜBER (o trema não existe mais, mas no meu coração ele sempre terá lugar; ou no meu tecladito, risosmil) 80's. Se eu pudesse eu tacava purpurina na minha cara só pra me achar mais bonita. Vestia umas polainas sexies e uma legging glam e saia na rua. Mas não não não, o clima MADE IN THE 80'S ficará só no blog por enquanto (até eu arrumar um emprego pra bancar todas as minhas homossexualidades). 

A não tá aqui e eu garanto que ela NÃO aprovaria metade das minhas idéias (que incluem unicórnios, Britneys eeeee arco-íris) ENTÃO que seja. Amanhã eu vou tirar esse layout daqui porque eu farta. E fundo escuro encomoda pra ler.
Alguém faz o layout pra mim? Pago com amor e tequila (brinks), mas se aaaaaaaalguém quiser ajudar e dizer "Jess, faz assim migs que fica lindo", eu aceito. Aceito até uma intervenção divina.
NEON PRA VIDA GALERE

quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

Minha conclusão de 1º de janeiro: passar o dia todo na cama com o computador no colo só faz doer as costas. É sério! E eu que pensava que quanto mais conforto menos dor, todavia, mais uma vez, a prática se mostrou mais eficaz que a teoria dos meus sonhos (poor girl).

Depois de um Ano Novo, senão falido, familiar demais, ouvindo as “traveco-music” de papai (ele adora!), olhar pra piscina tomando chamapanhe de 7 reias (parece muito glam, mas não é. NÃO É) eu passo o dia todo com o computador sobre minhas pernas.

É isso que alguém de 18 anos deveria fazer? Eu não sei, mas há uns 7 anos atrás eu pensava que estaria fazendo outras coisas.

Apesar dessa falência pessoal eu assisti The Tudors e vocês podem chegar, sim, à conclusão de que eu vi muitas coisas bonitas e sexy, sendo que nessas coisas eu incluo o Jonathan, eu li coisas bonitas e comi pura e simplesmente arroz.  É bonito, por acaso, comer arroz no primeiro dia do Ano? Eu não como bolinho de peixe (tenho certa repulsa à coisas processadas) então eu tive que, penosamente, comer arroz puro. Pra uma semi-gorda isso não é nada mal. Depois tive uma tentativa falha de fazer pipoca, mas eu não sei fazer. Podem jogar pedras em mim, mas eu não sei fazer pipoca de panela (porque as de microondas têm gosto ruim, fato!).

Eu sei, ninguém está interessado, mas eu tinha que dizer alguma coisa.

E eu não vou desejar feliz ano novo pra ninguém. Mas eu o quero, todavia, não é do meu feitio ficar proclamando essas coisas feitas. Viva la revoluciooooooon (muitos documentários sobre Cuba podem, podem podem dar nisso).

 

Fiquem bonitos.