domingo, 27 de dezembro de 2009

Sobre papéis e níqueis

Desapego material pode ser confundido com consumismo? Talvez não totalmente, mas em certos aspectos eu acredito que sim - e acho que não sei explicar isso direito. Vejamos: eu realmente não me importo de bater o carro; não me importo de atravessar a cidade levando as pessoas em casa; não me importo com o dinheiro. Talvez seja pq o dinheiro não é meu, mas talvez eu simplesmente não me importo. Não me importo de sujar tudo e depois ter que limpar. Eu me importo em limpar, a preguiça é grande, e por isso eu vou deixando tudo acumular em cima da pia. Vou deixando o pó acumular no carpete, deixando a sujeira debaixo da cama.
Não me importo em consumir e jogar o dinheiro pelo ar: é só dinheiro. Não me importo em pagar 67 reais por um pote de maionese. Eu deveria, eu sei, mas dói muito pouco em mim passar o cartão de crédito ou contar notas de 50 reais. Não me importaria, se tivesse, aí sim, meu dinheiro de pagar libras e libras em uma viagem pra Londres. Euros e euros pra viajar a Europa. Ou abrir uma torneira de dólares até o Hawaii. Não dói.
O que dói é não fazer as coisas. É guardar dinheiro e contar as moedas de um real espalhados pela casa. Deve ser por isso que fazer contas com o dinheiro perturbe tanto a minha cabeça - contar é uma coisa que eu simplesmente não consigo e provavelmente nem queira fazer.
Não é o fato de que não me importo com o dinheiro e o esmero com o qual ele foi conseguido e guardado. Mas é que preocupação demais com papéis e níqueis não devia ser prioridade.

domingo, 15 de novembro de 2009

oie

domingo, 8 de novembro de 2009

Umbrella

Quem compôs Umbrella (Rihanna) é a pessoa mais feliz do mundo. Ela DEVE ser a pessoa mais feliz do mundo já que é uma das músicas com maiores versões e regravações ótimas da atualidade, sem dúvidas.

Pessoa que compôs Umbrella, eu te amo! BJS

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Oi, gente!

Gente, olha só. Faz uns nove meses que eu não posto aqui né. E eu sinto a Argentina chorando por mim. Eu sinto Pedro Neschling procurando por 'sexyqueens' no google. Eu sinto que engordei. Eu sinto que chorei demais. Eu sinto que broxei demais: maior modinha do ano!
E eu to de brinks. Preciso me reencontrar e dar um nome pro Gato - Bonequinha de Luxo, GENTE!. Preciso ir pra praia - praia sem carros, GENTE! -, Ilha do Mel. Quero muito ir, desde que descobri que era vulgo Ilha da Maconha. Como se eu fumasse e pretendesse. Se fosse tipo "Ilha da Heineken ou Ilha Cosmopolitan eu já tava lá com um surfista, ouvindo Shwayze (ouçam, na moral: mistura hip-hop e sei lá alguma coisa gostosa tipo surf music) e comendo uma massa Penne com molho ao sugo.
Tipo, quando eu tinha 16 anos eu era muito mais 'encontrada' do que eu sou hoje. Não era mais feliz, mas eu tinha propósitos legais de vida. E eu tinha 16 anos, e não 19. Eu tenho, definitivamente síndrome de Peter Pan: não quero crescer. 17 de Março do ano que vem eu espero que seja daqui a 90 anos. 20 anos é como se fosse uma barreira emaranhada em cobras, espinhos, gente feia e Paulo Coelho - um inferno!
E eu adoro demais meu professor de Fotografia. É tipo amor profissional mesmo - aquela pessoa que você admira demais: é ele. E eu nem sei porque. Tem gente que não gosta dele, e isso me indigna. Tem gente falsa que me pega pelo braço e cobra um beijo gentil de cumprimentos - o lado mau da força cada vez mais em evidência. Tem meu professor de Redação que sempre nos dá 10 nas matérias mas nunca nos elogia sonoramente. Não dá pra ler declarações de sucesso: eu tenho que ouvir, querido Cí!
Tem também eu tentando ser saudável por dois dias e eu tendo sonhos macabros com meu último grande amor que durou uma semana. Tem também todo mundo me reprimindo por isso e tem eu querendo escrever livros sobre isso. Monografias, teses, artigos, ensaios... Alguém me entrevista? Tchau.
Tem eu odiando os amigos que não prestaram. Nunca prestaram se te abandonam assim como se você fosse uma carcaça de frango comida (praticamente literalmente). E tem também eu sentindo falta de maresia. Tem também eu com fome e sede de espumante.

Eu amo vocês, de verdade. Tchau e preservem-se

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Feriado e glicose.



OIE. Eu tinha semi-abandonado o blog, por motivos pessoais (e não, eu não estou grávida). Pessoais no sentido: incopetência de conciliar faculdade e vida virtual.A questão é que eu tenho me estressado tanto com coisas banais por esses dias, que estou até desconfiando de um começo de gastrite nervosa. Trabalho pra entregar: dor de barriga, pegar nota: cólica, ovo com gema mole: diarréia. Tudo bem, até confesso que curto uma diarréia de vez em quando pra limpar a alma.Mas voltei com tudo! - exceto com movimentos peristálticos regulares e bolo alimentar caminhando devagar quase parando. Eu tenho que ser porca em todos posts.Mesmo. Mais animada pro feriado impossível. Jézinha vem nos visitar e embarcar no bondinho homossexual - NOT - da noite paulistana, com direito a baladinhas hype/hip-hop, travestis Trace Cyrus e encoxamento no metrô. Essa cidade vai estar bombando tanto no feriado que vai ter fila indiana até no Giraffas. Se bem que São Paulo bombando é redundante. Ô cidade linda.
Pra terem uma noção de que a minha palavra não vale nada, ano passado eu batia o pé, fazia birra e greve de fome - tá, mentira a ultima parte - por que não queria vir pra capital. Muita gente, muito encoxamento, muita coisa. O que eu não sabia, é que tudo isso é só ponto positivo. E como. Agora volto pro meu polo industrial do jeans no sudoeste e fico vagando pela casa incomodando meus pais e comendo loucamente sem saber o que fazer.

Esse é o feriado etílico mais esperado do final do ano, só posso continuar o post depois que tivemos bebido todo o estoque, lavarmos as calçadas da Augusta, pegado os mais comprometidos facialmente - achando lindo - e pulado no Tietê. Enfim, um salve pra todos que virão desfrutar das bizarrizes paulistanas.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Da vontade de bater em alguém

Às vezes minha maior vontade é sair dizendo verdades na cara das pessoas. Aquelas pessoas que estão sempre reclamando de tudo, dizendo que a vida é uma merda e que o mundo não merece a sua presença. No entanto, eu não posso fazer isso. Por maior que seja a minha vontade, ninguém merece saber certas verdades sobre si. Ninguém merece ser 'desmerecido' e reduzido a nada. "Não se deve brincar com certas pessoas, mesmo que elas mereçam", já disse Holden Caulfield uma vez e eu espero que essa ideia seja propagada infinitamente.

Todo mundo quer saber a verdade sobre si, mas ninguém quer ouvir. São poucas as que sabem relevar uma crítica e sair andando de cabeça erguida. Eu acho que cada um deveria se descobrir sozinho, levar uns tapas na cara e uns chutes na bunda. Mas ninguém merece ter uma pancada de verdades jogadas na cara.

Eu acredito que todo mundo deveria abrir os olhos e parar de querer carregar uma pedra nas costas. Porque querer carregar o mundo nas costas é opção de cada um, é pura resignação. Todos devem ser amados e amados pelo que são. Amor não mede esforços e se alguém te ama é porque ela ama você do jeito que você é. Mas às vezes o amor é fugaz e se esvai com o ar. E então você sabe que não foi amado de verdade (e eu falo de amor fraternal) e que precisa mudar alguma coisa. Ou não.

Não tenho peito de chegar em alguém que eu não conheço com a palma da minha mão e dizer "Cara, se liga pra vida!". Eu só tenho o bom senso de me distanciar dela e ir embora. Sai da minha vida, por favor. Tudo que você faz é sugar minha energia; me faz sentir mal por algo que eu não fiz; me faz sentir pena de você. Então, eu penso e desejo que isso aconteça, vá o mais longe que puder. Por favor.

Blink 182 e a vida <3

Eu vim aqui pra dizer que acho que vou fazer minha monografia de conclusão de curso (daqui a 7 anos) sobre "Pessoas que ouviram Pop-Punk na sua infância e adolescência". De verdade, eu tenho pensado em teorias sobre isso. A principal teoria (única, ATÉ AGORA - mente brilhante em desenvolvimento) é que essas pessoas, a maioria delas hoje com mais de 18 anos, são mais felizes.

Existem pesquisas que afirmam que o cérebro/personalidade da pessoa é formada enquanto jovem. Ok, não é novidade. O que eu quero dizer é que aqueles que ouviam 18 vezes por dia o Enema of the State, do blink1 182, absorveram somente idiotices pra vida. Não idiotices fugázes, mas idiotices do tipo WAY OF LIFE, que definirão uma pessoa mais "leve" no futuro.

Blink 182, até 2003, não tinha lá grandes letras edificantes, que construíam uma alma de pureza e bons modos. Mas tinha músicas que construíram uma personalidade do tipo "foda-se o mundo". Blink 182 tem uma música sobre foder um cachorro e um clip de caras lindos correndo pelados por L.A. Sendo assim, eu acredito, por experiência própria (please, eu sou uma dessas pessoas) que eu vejo a vida com outros olhos.
Sim, eu choro sangue 10 vezes a cada mês, ouço Jack's Mannequin e Fresno (NOOOOOOT) mas eu sei que se eu procurar uma música do Blink, eu vou abrir meus olhos. Sabe, eu acho que isso é muito amor. E as pessoas me perguntam porque eu tenho uma porcaria de adesivo do Blink no meu carro e eu só penso em gratidão. Afinal, sem dúvidas, eles me fizeram quem eu sou - e eu acho que ninguém deveria se levar tão a sério.

Beijos no coração. E façam seus filhos ouvirem Blink 182, Bowling For Soup e Green Day old-school.

You tube, eu não gosto de vc

Eu ia fazer um post muito LEGAL, divertido, contemporâneo e aleatório sobre Bowling For Soup e toda a alegria de ser dessa banda maravilhosa de pop punk, MAS culpem o you tube. O you tube não deixa incorporar os vídeos do BFS e mimimi, não sei pq essa putaria, ok. Mas é assim que a vida é - e se não fosse assim, seria de outro jeito e o mundo que nos ama teria um post lindo sobre essa banda linda.

Tchau

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

LEEEEEAVE STRAIGHTS ALOOOOOOOONE

A Bá me introduziu em uma corrente de vídeos toscos (a partir desse http://www.youtube.com/watch?v=OONXkj2xjbs&feature=fvw - de verdade, é nojento) e eu fui parar neste vídeo:




Depois de assistir esse vídeo, com muito escárnio no coração, eu penso que Chris Cocker deveria ter parado no clássico LEAVE BRITNEY ALOOOOONE (you tube it, bitch). Essa sequência de vídeos sem propósito só fez dele(a) mais insano ainda (é feio dizer idiota - imparcialidade pra vida).
Gay é um adjetivo e não é pejorativo. Chris Cocker fez dezenas de vídeos de ódio heterossexual. Não acho que ele tenha problemas, mas ele simplesmente não sabe se maquiar (mas a cor do cabelo dele é bonita). Dizer que um CD é hetero não vai ofender ninguém. Dizer que um CD É GAY NÃO VAI OFENDER NINGUÉM. Porque quando você diz que uma coisa é gay você pensa na purpurina e libertinagem da coisa e não na via sexual que a coisa seguiu. É tipo, simples.

Eu super defenderia Chris pelo vídeo de amor a Britney (sooooooo 07's) mas eu sei que tudo que nós temos em comum é a capacidade de defender Brit e de não saber separar o cabelo. Ele é simplesmente irritante com esse trejeitos homossexuais super estimados.
Homossexuais não são lindos porque são homossexuais, eles são lindos porque são pessoas como as outras, só que mais sensíveis e adoráveis.

Entendo o vídeo e as razões dele. Eu falo por mim, mas ele ele ele ele é simplesmente desprezível.
TCHAU.

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

PARABÉNS


17 de setembro de 2005 eu conheci Bárbara Rosa. Irritante, chata, zoava todo mundo: eu odiava ela (NOOOOOOOOOOT). 17 de setembro de 2005: um show do Blink 182 que nunca aconteceu. E nesse dia tristes pros fãs desses obesos (menos Travis, claro) eu decidi ceder e rir da Bárbara e amá-la pra sempre. Eu descobri que ela é a melhor coisa oriental que pisou na Terra e no meu coração. E eu acho que só continuo a AMAR Blink 182 por isso: é nostalgia pura de um tempo lindo.
Desculpa, mas agora ela não é mais minha amiga virtual: a gente já se viu mais de três vezes (CAMINHÃO DA BRIIIIIINKS). Às vezes eu acho que só ela me entende no mundo e eu fico satisfeita por isso. Agora a gente se vê umas quatro vezes por ano e isso é mágico. Hoje ela é minha melhor amiga e já parece uma eternidade, e não cinco anos. Te amo cat.

sábado, 15 de agosto de 2009

Matthew McConaughey: estraga dietas.

Vim pra Taguaí, sem dinheiro e toda fodida, achando que ia me dar bem, e a moça que trabalha em casa decide que tem dores na coluna e solicita uma ambulância pra fazer a volta da doença com o pior timming na praça central e imeadiações do polo econômico do jeans no sudoeste paulista. Apesar da minha semana passada realizando trabalhos braçais - depois das 16:00 e depois da Nova Escola do Imperador, óbvio - agradeço ao tédio por aceitar esse destino injusto e me entregar ao meu temporário transtorno obcessivo compulsivo de lavar louças até criar uma segunda camada de pele áspera na mão.

Realizei no entanto, duas atividades pelas quais sempre nutri muito carinho e nenhum esforço em realmente fazer. Li o Pequeno Príncipe e assisti Como Perder Um Homem Em 10 Dias. Me emocionei com ambos e infelizmente somente do segundo tenho um comentário pertinente a fazer.

Matthew McConaughey. Além de ter toda essa malemolência proveniente de um texano com cara de australiano ainda é bombadinho e tem um sorriso de cair o cu da bunda. Eu sinceramente não sei de onde tirei toda essa devoção aos filmes dele, embora só assista por um motivo. Preparem-se os gozadinhos. Piada pronta: eu adoro ver ele comendo. Sério. Sabe quando você acabou de comer um pacote de passatempo depois da massa pesada: creme de leite e penne - veja bem: penne - tomou uns 4 litros de coca e está com nojo de toda e qualquer forma alimentícia? Experimente ver esse deus do cenoure bronze dilacerando uma casquinha de siri, perna de lagosta ou qualquer outra iguaria praiana pra ressucitar todo o apetite reprimido. Ele me seduziria devorando um prato de pedreiro com farofa Deusa, arroz queimado, coxão duro e ovo com gema mole. Foto da bundinha. Só pra vocês.


sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Ode aos porcos

O twitter está acabando com as postagens de blogs tradicionais. Ao menos pra mim aqueles 140 caracteres são divinos. Eu, que adoro falar pouco, estou viciada neles. Ou, pelo menos enquanto eu não tenho um amor carnal pra amarrar na cama, eu me sento na cama com meu computador e meu amor virtual, twitter, pra falar por mim. Não é mágico? Eu acho sensacional.

De qualquer forma, eu só estou aqui escrevendo nada e enchendo linha de pensamentos vázios porque eu não tenho mesmo o que fazer e o que falar e o que dizer - nem vontade de por vírgulas por aqui. Venho sendo má influenciada e estou gostando disso. Se bem que acabar com um dos únicos dons (ou pseudo-dons) inexplicáveis que Lord Ganesh me cedeu não é lá um grande progresso de vida.

Eu sinto que preciso arrumar um emprego e guardar muito dinheiro pra fazer coisas com, bom, aquele dinheiro. Não sei o que. Seu eu pudesse viveria comprando saias, sapatos pumps cor nude e coisas com tachas, mas a razão ainda não me permite tais coisas.

O que eu queria agora? Estar plenamente feliz ou plenamente muito triste pra chorar e escrever coisas bonitas. Esse meio termo que anda a minha vida não me deixa inspirada. Nem Nikola Sarcevic me deixa mais inspirada. Talvez eu esteja perdendo minha essência. Que coisa sem sentido morar num local onde as pessoas preferem MPB à casas noturnas (oi, tenho 80 anos) que toquem músicas alternativas. Ter oitenta anos na minha terra era ouvir MPB e sambas fundo de quintal. Louvo Lord Ganesh por inventar o alcool e deixar minha mente tão livre pra aceitar os sons brasileiros, assim como para aceitar Lady GaGa hermafrodita (BAFO!) e me adaptar aos lugares. Mas confesso que ainda prefiro os hermafroditas aos heterossexuais cariocas.

Só não aceito a Gripe dos Leitões atrapalhando minha vida. Isso não dá. Se ao menos a PUC tivesse prorrogado as férias de winter até o dia 17 desde o início, e não até o dia 10 de agosto, eu poderia ter programado minhas férias de winter forçadas de outra forma. Podia estar voltando de SP hoje e ter passado 4 dias fazendo coisas gostosas com meus amores gostosos. No fim, é tudo culpa dos porcos e dos porcos sugadores da minha profissão (los jornaless), que ficam enfiando pânico nas pessoas.

E minha mãe vindo tirar minha concentração do meu texto sem nexo, tamb ém não é lá tão aceitável. Às vezes, quando você mora sozinha por seis meses e vem passar um mês na casa dos pais, você só quer sua casa sem ninguém por pelo menos uma hora.

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Sobre o alcool e as amizades

Por isso que eu digo que pra fazer coisas como beber uma garrafa de Tequila e rolar do alto de um morro com alguém, puramente bêbada, esse alguém precisa ser de muita, muita confiança.
De muita, muita, muita confiança a ponto de você saber que ele vai estar sempre com você e que nunca vai falar que você passa da conta. De muita, muita confiança porque sabe que você faz isso só porque tem 19 anos e é feliz - e se sente mais feliz ainda bêbada de Tequila.

Não que tenha acontecido algo que me feriu muito a ponto de eu dizer isso, mas é uma coisa que a gente tem que aprender. E que, às vezes, ser você mesma, não é a melhor coisa pra prolongar uma história entre duas pessoas. Mas, antes de tudo isso, comam um boi antes de ficarem bêbadas.

De qualquer forma, sejam vocês mesmos. Mas não confiem em todo mundo pra ficar bêbado com você.

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Rodrigo Faro: me cheire.


Sábado passado eu tinha feito um post sensacional admirando o trabalho inigualável do Rodrigo Faro, mas o blog reprimiu - como sempre - e apagou. Mas eu preciso enaltecer da melhor maneira possível esse apresentador notável do "Melhor do Brasil" provavelmente o único programa que me faz rir de verdade da televisão brasileira - fora o "Vale a Pena Ver de Novo" recente da Senhora do Destino - I s2 Naza .
O cara é muito feliz. Ele dança agitando os braços quando as pessoas se pegam loucamente, desfila bizarramente "mordendo o maxilar" - profissa - entrelaçando aquelas perninhas de saracura, sempre sério (óbvio), já foi ator, Gisele Bundchen, travesti e vendedor da Avon. Fica puto quando os caras tomam fora, zoa as pessoas sem nenhum escrúpulo quanto ao físico e ao ganha pão, tem um timming perfeito para relar nas pessoas fazendo barulhinhos engraçados. Recomendo sempre. Marcio Garcia: morra.

terça-feira, 4 de agosto de 2009

HEBE


segunda-feira, 27 de julho de 2009

Férias: não te amo mais.

Tinha me esquecido de como era entediante ficar uma semana em casa com o sono desregulado. O mais interessante é que hoje, que fazem umas 30 horas que eu não durmo, que tomei consciencia disso. Meu cabelo estava ao natura, com 3 quilos de óleo, eu sabiamente decidi lavá-lo essa madrugada, e fazia quase muitos dias que eu não me dava o luxo de tomar um banho. Mas acho que o que me fez analisar minha situação com olhar mais crítico foi me ver sentada na privada - falando sozinha e rindo - da incoveniente falta de papel higiênico momentanea. Foi demais, até mesmo pra mim. Sério, não é fácil se portar civilizadamente quando se está mais sujo que seu cachorro do qual possivelmente se pegou mini-parasitas através de uma partilha de cobertores.
Tava muito frio, cachorro também é gente, poxa vida. Sem contar que ele corria mais perigo de contrair alguma doença de mim do que o inverso, e eu sou a única culpada por ensebar meu próprio edredon.


Denúncia:
Na verdade não é uma denúncia, é só pra mudar o foco, cansei de expor minha imutável suinísse. Jonas Brothers (boa). Apesar deles insistirem nessa boiolisse de 'pacto de seremos virgens forever & ever', não sei quanto a vocês, mas eu não nasci ontem e não acredito nessa palhaçada. Eles com seus 15-25 anos (to inventando) no auge do estrelato e dos pelos pubianos, devem ganhar uns milhões do governo americano pra aderir a politicagem deles e fingir que não comem umas menininhas no camarim. Ainda mais o Nick que era todo estranho e tá maior gatinho seduzindo de decote (masculino) nos clipes. Fiquei sabendo por fontes não confiáveis (e confesso estar com preguiça de ir pro google confirmar a veracidade dos fatos), que o mais velho vai se casar. Eu sei que é tudo fachada Kevin. Tipo, sai do armário Kevin. O que você está fazendo consigo, Kevin? Fica aí Kevin, na sua Kevin, de cantinho Kevin, sempre na sombra dos irmãos Kevin, mas a gente sabe, a gente sabe, que esse leite é moça. Essa coca é fanta. Você é homossexual (fiquei sem opções de eufemismos).
Deu né.

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Def. Pudim

Porque Julho é o mês do entretenimento.
Eu ri muito, sério. Principlamente do 'iguaria'.


domingo, 12 de julho de 2009

paquitagem

[C]Ubatuba

sábado, 11 de julho de 2009

Férias

Bárbara

quarta-feira, 8 de julho de 2009

el coche el choche

Primeiro: Roger (o deus gay de American Dad) dançando gaymente a música tubinho das férias. BJS
American Dad - 4ª Temporada (episódio 12)

"El perro, el perro, es mi corazon!

El gato, el gato, el gato no es bueno!

Cilantro es cantante, Cilantro es muy famoso!

Cilantro es el hombre con el queso del diablo!

El perro, el perro, nunca sin razon!

El gato, el gato, el gato es obsceno!

Cilantro es caliente!

Cilantro es cariñoso!

Cilantro es carinoso mejor que su esposo!"

Agora: A música inteira do grande artista Cilantro (não sabemos quem é, mas é grande)
Música linda: aplausos. BJS

terça-feira, 7 de julho de 2009

Fome permanente

Confundimos depressão com fome.
Jéssica e Bárbara: 3 dias rolando no sofá, assistindo a TV e engordando.

"Eu to sentindo um vázio por dentro. Não sei o que é. Acho que é fome"
"Acho que to com fome"
"Eu tenho certeza que to com fome"
"Vamos comer?"
"Pega coca pra mim plz?"
"Só pego se tu deixar eu assistir Meninas Malvadas"
E tem também, é claro a agressividade gratuita (por causa da fome).
Jéssica: Quero purê.
Bárbara:
Jéssica: Quero purê.
Bárbara:
Jéssica: Quero purê.
Bárbara: DEMORA PRA FAZER.
Jessica:
Jéssica: nossa verdade, tu tá agressiva porque tá com fome?
Bárbara: T

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Férias de winters

Oi! Bárbara oriental está chegando em algumas horas (não sei contar). Bem inconveniente: o tipo de pessoa que chega no inverno, 6 da matina, maior frio. Super estorvo da minha vida. Me faz manobrar um carro numa garagem de 6 mm² só pra pegar ela na Rodo. Mas tudo bem, o problema é dela. É ela quem vai vir aqui só pra pegar gripe do leitão/pig comigo - sou do mal, bjs.
Estou pestiada e morrendo. Tenho todos os finais de semana pra ficar doente em casa, com minha mãe me paparicando e a Beatriz pra pegar no colo. MAS NÃÃÃÃO: Eu fico doente justo quando estou sozinha. Pelo menos, dessa vez, não foi intoxicação alimentar.
Agora tenho que tomar remédios por cinco dias e tudo mais. Não vou poder ficar louca muito louca na bad, morrendo, "chamando o doctor" e tudo mais. Porque senão eu chamarei o doctor for real - alguma coisa na bula dos remédios falava em hemorragia no fígado (eu leio bulas com muita atenção, de verdade) se ingerisse alcool.

Eu e Bá temos ideias supimpas pras férias de inverno: primeiro tour por Curi, conhecendo os bares turísticos aqui do ladxinho de casa (OUTBACK PLZ), comer pipoca. Assistir Branca de Neve, Rei Leão. Beber Quentão (sem alcool - MENTIRA).
No sábado, conhecer os bares turisticos de curitiba com apenas 20 reais no bolso (incluindo taxi, entrada no bar e um cosmopolitan (sem alcool - BULLSHIT). Claro que a missão é impossível, mas fica a ideia de pauta ai pra galere. Vamos gravar videos supimpas das nossas aventuras de férias. No domingo não tenho previsões de vida. Acho que vamos comer massa com molho ao sugo (finge) nos três dias. Afinal, é só o que a gente sabe fazer - quando não tem sugo vai na manteiga mesmo. Nós temos o dom da gordura localizada. Depois vamos pra XOINVILLE (SC) - vulgo fim do mundo, mas só depois de Taguai. Passaremos cinco segundos em XOINVILLE (SC) e depois iremos pra alguma praia: by bus. Tem coisa mais gostosa que praia sulista no inverno? IRONkNOW. Por isso vamos por ai com 5 cets no bolso passear pelas praias e tudo mais. OU NÃO. Conhecer uns cats, tirar umas fotos. Beber uns vinhos. Fazer umas piadas. Rolar na areia. Sas coisas que a gente faz com a BF.

Então é isso. Eu tenho que tomar banho, dar uma dormida, limpar a cozinha e tirar esse cheiro de manteiga queimada do meu apartamento de 6 cm² - tá horrível.

domingo, 28 de junho de 2009

Candidado pra SexyKing Inverno 2009: dica quente.


Depois de insistir por muito tempo -10 seg - decidi ir ver o filme da Hanna Montana com meu migs. Cheguei lá, já não esperando muita coisa, mas confesso que queria ver o peão bonitão que ela pega, e a história da música dela "The Climb", pela qual nutri certa simpatia apesar de não gostar muito de Miley. Depois de acomodados e sem tênis, de pernas abertas apoiadas na grade - feito pelo qual fomos reprimidos antes mesmo de começar o filme de fato - estávamos prontos pra produção cinematográfica da Mimil. Até uma altura do campeonato eu estava lidando bem com a situação. Vou ser sincera, o filme não é de todo ruim, deu pra ver o peão laçando o cavalo, o peão molhadxinho, o peão rindo, o peão com o olhar próprio do Robert P. de baixo pra cima de cima pra baixo e MEU DEUS o que é esse homem rindo? SAI DAQUI HOMEM LINDO. Eu e o Peoh suspirávamos a cada segundo que ele mostrava aquela arcada dentária esculpida pelos deuses. Menos hot hot cats e mais comentários pertinentes. Tá eu falo. Chorei mesmo e daí. Só tinha 7 pessoas naquela sala de cinema. Um casal que ficou o filme todo dando uns amassos selvagens, e o resto de meninas de idade entre 12-15 anos. E eu e o Peoh, óbvio. Que fazíamos questão de comentar cada cena do filme profissionalmente, rindo alto, babando e dando urros quando apareciam os cats ou quando dava um close nos dentes encavalados da Miley. Quer dizer, a última parte era só eu.

Enfins, já que é pra dar dicas, galere, não vão no cinema assistir. Se pagar meia é até aceitável, vale ver o deus grego em huge-screen, mas nada como poder voltar as cenas depois em casa, colocar os pés onde bem entender e copiar o dvd pra imprimir em tamanho gigante um poster dele pra colar no teto e até quem sabe simular um happy ending (brincs ÓBVIO). Hanna Montana sua safadinha lucky bastard, tá pegando, né?

Juro que ia postar pra falar da complexidade da letra da música, e de como podemos aplicar como filosofia de vida, rendendo alguns debates, mas decidi só compartilhar o bonitão. Então façam um favor e vejam o clipe da música, sintam a música, abram a foto do bonitão porque é gigante e esperem sair em DVD. Bjs

quinta-feira, 25 de junho de 2009

FX: super dicas pras férias.




Juro que não estou postando pra tirar esse post ridículo da Jéssica. Isso que acontece com esse pessoal que ainda não está de férias. Ficam tentando derrubar os amigos a qualquer custo. E digo mais, estou de férias, sentada no tapete, tomando Coca e vendo American Dad, parafrasenado Timmy: enquanto tiver comida na geladeira e papel higiênico, eu é que não tô nem aí. E de fato. Já passei por muito perrengue esse mês, meu descanso mais que merecido será desfrutando no litoral e todos seus graus abaixo de zero com sensação térmica bem menor.
Se a criatividade permitir essa semana teremos um novo tema pro blog. Wee! Estou apenas começando com o inevitável ócio delicioso das férias. Agora é a hora daquela dica que todos estão esperando (nossa acabei de escrever "estam" sem querer). Ócio televisivo. Não acredito que ainda não recomendei os melhores programas da nossa querida TV paga, maravilha das abdominais sem esforço e terror dos vestibulandos. Chega de "Friends" e "My Wife And Kids". Nós somos a nova geração das piadas "ácidas" e com disvirtuamento de valores. Apesar de testemunhos de que as pessoas que assistem ao programa são usuários de drogas e que não sabem ainda mudar o canal da TV (sério, eu nem ri), e que eles passam só depois que todos do mundo foram dormir, eu recomendo a dormir 8 horas mais tarde só pra prestigiar. Ou baixe.

Devo iniciar com "It's Always Sunny In Philadelphia", que é um seriado que fez sucesso até rápido demais aqui em casa. nada mais engraçado que 4 pessoas que nos confundem em relação a orientação sexual e o Deny Devito tomando conta de um bar, capazes de fazerem você viciar nos episódios, que sempre lançam alguma polêmica ou jargão engraçado. Assistam um pedaço do Day Man. Apesar de que todos meus amigos que eu mostrei (fora o Caio e o Garcia, que fazem questão em imitar a voz aguda e o movimento de quadris, batendo as mãoes no ar) não acharam graça nenhuma. Um absurdo. Insisto que assistam primeiro o Night Man e depois o Day Man.

"Reno 911". Tem algo mais bizarro que um policial que usa um mini shortinho Carla Perez Hilton cujo colega atira nos outros colegas por causa de um Jet Ski?

"Family Guy" e "American Dad" nem preciso comentar.

E por último mas não menos importante: "The Office". Fora a sensacional atuação do nosso queridinho Steve Carrel (OHHHHH KELLY CLARKSON!) do Virgem de 40 anos, fazendo o papel do chefe odiado de uma empresa (?), que sequestra o entregador de pizza - só de brincs - porque ele não quis aceitar um cupom.

Fik as diks pra insônia da galere.
Bjs.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

oi

Barbara tá mais feia que eu.
VEEEEEEEEEERDADE! Ou eu to mais feia? Sabe, não tenho mais vergonha disso. Afinal, por duas pessoas feias em uma foto é equivalente. E ninguém compete e tudo se torna mais bonito, pq se torna nulo. É, ainda não aprendi a fazer contas e nem tenho uma sacada. Não lavo a louça, não emagreci e não usei meu sapato novo ainda.
Beijos oriental, te quiero.

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Diarréia.


Estava guardando esse meu próximo post pra quando minha raiva das coisas que acontecem comigo estivesse passado, mas ficar guardando rancor de ter nascido é igual salame. Dá câncer. Semana passada foi uma semana de muitos dilemas, muitas descobertas e muitos dedos simultaneamente apontados e afiados apontando pro meu cu. Me perdoe a indelicadeza, visto que esse blog pertence a duas moças de família, mas prometo que farei valer esses momentos maculadores dos olhos juvenis e provincianos.
Meu coração sente antecipadamente o desespero de nossos - assíduos - leitores a depararem com tal post fossa, tendo em vista a grande celebração universitária dos adoradores de falação e crap. Isso, eu que não estava animada, porém IA animar não fui prestigiar o Juca - para os desinformados: J: Jogos; U: Universitários; de C:Comunicação e A: Artes. Como se já não bastasse a enrolação na faculdade a galere ainda decide que quer tirar mais 4 dias pra quebrar uns ônibus na estrada, pagar bundinha no semáforo e rolar na lama em alguma cidade interiorana Brasilzão afora, queimado fusquinhas em praça pública e invadindo suas casas em busca de sabonete e edredon seco. Não, eu não fui. Me atirei pra fora dessa porcentagem tão prestigiosa de pessoas que voltaram fodidas e com pneumonia, reclamando que a Mackenzie robou, que a Metô nem tentou e que a ECA nem se tentasse.
Depois de comer três pães de presunto Sadia (eu confiava) e cheddar Sadia (eu confiava), logo percebi que tinha algo errado. Algumas horas depois estava eu de mala e cuia, pronta pra jornada vomitando as entranhas. Sem exagerar, eu vomitei no mínimo uns 3 litros por cima e uns 5 por baixo. Notei que minha semi-quase-animação pro juca tinha acabado ali. Me dei finalmente por vencida e liguei dizendo pro povo que eu fico. Tomei um soro de framboesa que custou 25 reais que tinha gosto de gravidez, tomei uns 3 remédios que eu nem sabia pra que era, tomei gatorade, tomei 2 litros de água, e 5 segundos depois de cada refeição líquida eu corria pra devolver pro ambiente. Eu quero que vocês entendam minha dor que durou 3 dias, inclusive tive que evacuar em Paranapanema (PARANAPANEMA!!!!11) porque não aguentava mais meu intestino coxando e o Paolo rouco, de língua presa e nova voz de velho gemendo mais que minha mente, fora que eu já tinha passado mal um dia antes no trampo, tive que subir no topo mais alto do Shopping Ibirapuera que mais parece Hogwarts porque eu demorei no mínimo uns 45 minutos pra achar as escadas que levavam paras os elevadores certos pra eu dizer uma senha pro quadro da Mulher Gorda pra mulher poder medir uma mísera pressão de merda, porque ninguém ama pessoas doentes com pressão baixa. Ninguém. Eu tava até mais enrijecida quando cheguei no ambulatório e o médico tinha acabado de sair pra almoçar.Eu não fiquei feliz. Ninguém tava feliz aquele dia. Nem eu, muito menos minha chefe, que deve ter muitas perguntas a fazer sobre minha condição física amanhã.
O que importa é que eu perdi 260 reais, mas eu passei um feriado agradável com meus pais vendo 13 filmes e bebendo vinho de pantufa no quentinho e o pessoal do Juca se fodeu HAHAHAHA.
Aquelas que estraga o post com vingança mental.
E essa obra de arte no poster do Juca é lama viu gente, lama e neve, hebe.

sábado, 13 de junho de 2009

lovetrap

i know you met someone last night, see it in your eyes. you said "we only talked alright", now that's a big lie. and know it's all over now, i guess we lost our love somehow, the moment you left through that door. no, you never come back here no more.
you came and took your things today, gave me your ring back. i never thought it'd end this way, fell in your love trap. and i know it's over now, i guess we lost our love somehow. the moment you left through that door, no you never come back here no more.
you said you're never comin' back home. you got me choking. now thats a typical syndrome when heart gets broken. cause i know it's all over now, i guess we lost our love somehow, the moment you left through that door. no you never come back here no more. cause it's all over now , we lost our love somehow.
you left through that door and i know.
you'll never come back here no more.
beause it's all over now, it's all over now.

nikola sarcevic, gênio.

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Branca de Neve: a primeira Diva

Branca de Neve causando no final da década de 30



Não tem nada nem ninguém - a não ser uma madrasta má: "Hum, eu gosto daqui" - com desdém, quando encontra a casinha dos anões
Depois, com a mão, ela limpa a janelinha suja dos anõezinhos e arregala os olhos muito, muito, muito pra poder ver melhor, como se estivesse vendo um alien parindo um bode na sala: "Uhhh! Que escuridão!"
Branca de Neve é a mais tiazona que cuida (e manda) em todo mundo.
Mas melhor que isso é quando ela bate na nano-porta dos anões e faz aqueles carões lindinhos, de pegar no colo, com aquele batom super 09's que nunca, nunca borra! - 1ª diva de todas!
Ninguém atende à porta: "Ô de casa, posso entrar?" - antes de terminar a frase ela já tá na metade da casinha, e ainda manda todo mundo ficar quieto!
Aí, ela sai se pirulitando e adentrando ainda mais na casa; enquanto isso, os animaizinhos fofos vão entrando com ela e preenchendo o restante do espaço da nano-casa. Animais de bosque são os mais lindos!
Mas o melhor de tudo, tudo, tudo na cena vem agora: Branca flutuando pela salinha, dando voltinhas e pulinhos lindos, quando ela levanta as mãos pro céu, faz um mini carão e exclama: "AAAAAAAAAAAAAH! Uma cadeirinha!" - Nada é mais fabuloso na cena do que isso, NADA! E ela ainda faz os animais sairem correndo pra fora como se ela tivesse sido estrupada por um ectoplasma. Nisso ela senta graciosa (dando pulinhos com a bundinha) na cadeirinha - diva.
Ela conjumina que são sete cadeirinhas, possivelmente de sete criancinhas e acalma os animas que já cuspiram o pâncreas.
Chama as pessoinhas de desmazeladas e (surprise) ela encontra uma meia na MESA (Bárbara mode on)  e solta uma risada gostosa. Enquanto vai até a lareira e assopra mais um esculhacho: "Coberta de pó!". = Transmite rinite pra todos os esquilos.
Reclama dos pratos e da vassoura que nunca foi usada: GAFE - "Talvez não tenham mãe!" - e os bambis se mostram complacentes com o erro cruel. 
Agora a segunda melhor parte: Ensinando criancinhas a serem coercivas:
"Já sei! Se NÓS limparmos a casa, talvez EU possa ficar aqui!" - EU fico, e vocês fazem tudo enquanto eu espalho o pó pelo ar - e canto.
"Não, não, não. Isso não se faz!" - Só Branca falaria isso com tamanha graça e leveza. 
Livro de auto-ajuda: 'Aprendendo a reprimir os erros alheios com Branca de Neve: sempre com glamour'.


Branca de Neve era meu filme preferido entre todos os da Disney. E continua lindo. E sempre vai ser lindo!

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Vão me entregar móveis amanhã - finalmente.
Sendo assim, uma menina carioca me liga no CEL pra confirmar a entrega na sexta-feira: BELEZA.
Horário: "Comercial"
O que seria comercial: "Das 8 da manhã às cinco da tarde"
Possibilidade de limitar o horário de entrega: Nula
Possibilidade de ficar em casa das 8 da manhã às cinco da tarde: Nula
Possibilidade de conciliar eu/entrega: Somente da minha parte
Conclusão: Além de ter que esperar mais de uma semana pra entrega de DOIS móveis pequenos e modestos, depois de ter dscutido abertamente com a vendedora a possibilidade de entregar os dois móveis na terça feira - e ter perdido e acatado que a entrega fosse feita somente na sexta - ainda tenho que esperar durante nove horas pela entrega.
A probablidade de me acordarem de madrugada (8 horas) é altíssima. A probabilidade de eles virem montar os móveis às 17 horas é mais alta ainda, uma vez que nesse horário eles fariam eu me atrasar pra aula de laboratório na PQP.

Por isso que agora eu entendo meu pai e fico fazendo barraco com esses vendedores filhosdamãe que não sabem vender e só fazer os clientes se irritarem. A flexiblidade tem que ser deles, não minha. Eles só vendem porque tem nome - e graça.
Sim to puta.

sábado, 30 de maio de 2009

COMPETIÇÃO

Quem é mais suína?

1) Aquela que encontra uma barata na pia da cozinha?
OU
2) Aquela que joga uma meia suja na pia da cozinha?

É uma enquete séria - e real hehe.

sexta-feira, 29 de maio de 2009

OITUDO/

Um conhecido teu te vê e te cumprimenta:
- OI!
Você prontamente responde:
- OI!
Teu conhecido retruca:
- Tudo bem?
-Tudo sim - com um sorriso largo e talvez exagerado no rosto.
Pra terminar ele diz, já indo adiante:
- COMIGO TAMBÉM - com muito, muito escárnio no seu tom de voz
- QUE BOM - com muito, muito, muito escárnio no meu tom de voz, eu respondo

Agora, de boa, eu cumprimento as pessos. Sou educada e sorrio. Dou oi. Nada de 'bom dia', 'boa noite' e 'boa tarde'. Sério, não acredito nesses cumprimentos. Sempre oi, olá, mimimi, eae cat. Muito mais verossímel, verdadeiro e do fundo do coração.
Eu acredito piamente que perguntar se um outro alguém está bem quando você o vê é retórico. A pessoa SEMPRE vai responder com 'tudo bem', 'sim', 'beleza'. Nunca vai responder pro amor platônico "Não, eu te quero e você é cego e não vê, por isso eu estou morrendo por dentro cada vez que você pergunta se eu estou bem". Me diz, quando que alguém vai responder pra algum conhecido "Posha, acordei na bad hoje". Seguramente, uma vez que é um conhecido, ele vai dar um jeito de sair correndo. NINGUÉM responde a verdade quando é cumprimentado com um 'tudo bem?'. E por isso que eu não pergunto de volta. Eu já sei a resposta. Se a pessoa estiver necrosando por dentro, com hanseniase no pé ele vai responder que tá tudo bem.
Agora, com meus amigos, com eles eu também não pergunto se está tudo bem. Eu simplesmente sorrio pra eles dizendo 'OI GALERE' e deu. Se eu perceber alguma alteração de humor eles dirão imediatamente - são amigos. Se eles não disserem, aí sim eu perguntarei. AÍ SIM SERÁ VERDADEIRO, pq se eu perguntar se está tudo bem eles dirão prontamente a verdade. Ou não, aí é problema é de cada um. 
Foda-se. Nunca perguntarei informalmente se está tudo bem quando você chegar em mim me cumprimentando. E não é falta de educação. Falta de educação é fingir que não viu. 

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Worst Week Part I.

Deveria ser proibido passar tanto perrengue num prazo tão ridículo de tempo. Minha vida ta tipo "Worst Week" só que não tem tanta graça - pra mim - porque é verdade, e é comigo. Quem me conhece sabe que eu sou uma pessoa que tem facilidade de se soltar com as pessoas e tudo mais, desde que elas sejam compostas de um grupo relativamente limitado. Eu tremo mais que vara verde, gaguejo absurdamente quando vou apresentar qualquer trabalho - é, eu preciso trabalhar nisso, já que eu curso comunicação e tudo mais, procurarei especialistas logo menos - e suando frio mais que uma porca no cio, obevéo ululante. E foi assim que minha amnésia me decidiu que queria me derrubar. Eis que no domingo a noite eu decido jogar poker por 49 horas. Batata. Tinha um seminário sobre "Os Sertões" na última aula e só não caguei na calça porque a natureza já tinha se encarregado de me manter rainha do trono na noite interior. I was clean. A segunda vez que eu fico descontrolada. Tive que ler o trabalho to-do. Assim não dá pra viver. E pra arrumar emprego.
Recebi uma ligação na terça e na quinta já me desloquei de social pra minha primeira entrevista de estágio. Eu sou um bicho do mato, sério. Eu falei tanta merda, mas tanta merda, que eu cheguei em casa ciente que se ela fosse me ligar ia ser pra me convidar pra fazer umas atrocidades comigo no sítio dela em São José. Sério. So faltou chamar ela de mano e convidar pra queimar um beck na lata comigo.
Pasmem: ela me ligou.
Hoje eu tava tipo: FREAKING OUUUT na facul. Ninguém mais me aguentava. Não que o façam normalmente, juro, eu estava impossível. Cheguei e fui recebida com afagos visuais do pessoal que trampa no escritório, galera super gente boa. Cheguei na sala e bomba. Uma veterana minha, concorrente. VE-TE-RA-NA. Quer que eu soletre? Porque eu consigo.
E mais uma galera 50 anos mais velhas que já tramparam na putasqueosparius e tudo mais. E eu encolhida no meio sem experiencia e sem chance. Sério. Depois de 4 horas QUATRO horas de treinamento - isso que ainda nem fomos contratadas - tivemos que simular a venda dos produtos na frente da coordenadora e tudo mais. Imagina a cor da bandeira GLS que eu tava la na frente.
Acabou que eu to surtando até agora e vou continuar assim até receber uma ligação.

Não quero trampar, não sirvo pra trampar. Pronto falei.
Vou jogar poker.

Ai papai




terça-feira, 26 de maio de 2009

Diva

ORELHA

Um texto de Fernanda Young

[...]

E não quero mais o que não posso ter. Assim estamos livres para sermos um. Só isso. Comuns são os casais. Nós não somos nada. O problema é que quero muitas coisas simples. Então pareço exigente. Não posso fazer nada. Então choro, oro, te esporro com mil xingamentos. Você pode se divertir, você pode ter pena de mim.

Não queridinho, não irei me matar feito uma discípula cega de uma religião apocalíptica. Vou assumir o meu ódio, vou rir do meu ódio. Vou sobreviver ao meu ódio. Mesmo sabendo que estou razoavelmente sã e humanamente perdoada. Cuspo na cara de quem finge não me ver. E não quero mais me explicar.

Vamos...Vamos logo subir essa escada que leva o amor ao último andar. Sobe pelo corpo o tremor do castelo que desmorona. Então vamos. Segura firme no corrimão. Respire fundo. Subir tão alto dá vertigem e olhar para trás deixaria-nos cegos. Os erros são medusas intransigentes. Arrancam as nossas lembranças boas e tatuam os desaforos e mágoas. Por isso marche. Sinta o meu perfume enquanto o tempo sopra esse bafo de mudança. 

[...]

A quadrilha dos desafortunados só começa quando um poeta recita um adeus. No final, devo pedir perdão por tê-lo tocado. Pode partir. Lembre-se ou esqueça-se de mim. Coração quebrado tem cura. A paz de não precisar mais aguardar a perfeição que não existe. Quero somente amortecer os erros e mudar de idéia. Quem sabe o por quê do que?

[...]


Eu preciso tentar explicar o porque de gostar tanto dela?

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Propagandas FAKES - CRÍTICA

Alinne Moraes em propaganda pra ATROVERAN:
Linda e glamourosa em uma loja de roupas - ao que parece. Linda e sorridente em uma loja de roupas. A atendente/vendedora/sugadora chega na atriz e pergunta se ela quer alguma coisa. Alinne Moraes linda e sorridente, mais uma vez, pede um copo d´água. A atendende, muito solicita pergunta "com gelo ou sem?". Alinne Moraes LINDA E SORRIDENTE (só pra ser enfática) responde "tanto faz, é só pra tomar ATROVERAN mesmo". 
Peraí. De boa, em primeiro lugar, quem sai de casa por opção quando tá com cólica? Em segundo - e mais perturbador ainda - quem sai de casa pra comprar LINDA E SORRIDENTE roupas quando tá com cólica? Quem fica solicitando em lojas de roupas LINDA E SORRIDENTE águinha pra tomar remédio pra cólica com um sorriso estonteante - daqueles de que a gente só dá quando tá putamente feliz porque encontrou o homem da nossa vida (daquela semana)?
De verdade, essas propagandas de margarina, absorvente, chocolate, remédio pra cólica etc. me deixam puta. 
Não são nem um pingo verossímeis. Quando a gente tá pingando sangue pelas pernas com uma min fralda pra conter o fluxo entre as pernas ninguém tá feliz. Sem contar que a gente tá inxada e não dá pra sair por aí comprando roupas, uma vez que a gente vai estar, no mínimo, um número no manequim maior. Sendo assim, a gente vai se deprimir e sair chorando sangue por aí. É uma bola de neve! 
Mas parece que os publicitários que idealizam essas campanhas não tem ciência disso. Ou são homens. Bárbara, uma vez que você é uma mulherzinha que escorre sangue, tem colica e dores emocionias uma vez por mês, por favor, não me decepcione.


segunda-feira, 18 de maio de 2009

Do you, or do you not know about the bird?

Esse foi um domingo produtivo. Embora metade do tempo tenha dormido/comido e passado veja 4 em 1 na casa tive a oportunidade rara de rever Tarzan
e o melhor episódio de Family Guy. É sério, é quase que um ritual assistir Family Guy aqui em casa. É sempre nossa primeira opção. SEMPRE. Nunca tem nada mais importante que Family Guy na nossa república. Vestibular? Prova? Trabalho que vale a nota toda do bimestre? Comer? Não obrigado, está passando Family Guy.
Voltando pro melhor episódio: O da volta de Jesus Cristo. Pra mim ele é apenas o coadjuvante dessa relíquia da 7ª temporada (Episódio 2), quando o Peter começa a ouvir a música Surfin' Bird do The Trashmen. É SENSACIONAL. A dancinha dele, todo rolicinho balançando a bundinha e os braços que nem o Coisinha de Jesus e depois que nem o Jonnhy Bravo. É genial. Eu juro que não consigo pensar numa música mais envolvente e dançante. Vou lançar a idéia pro meu - futuro - marido de ser nossa love theme.Veja aqui
Tive que compartilhar, não curto ser feliz sozinha.

Acho que estou me divertindo muito fácil por esses dias. Não pode ser bom.

Aliás, o link dos jogos: www.google.com





Zuei.

quinta-feira, 14 de maio de 2009

MADNESS? THIS IS TPM!!!

Só nós mulheres sabemos que aquele mesmo sangue que escorre das pernas é responsável tanto por nosso comportamento violento quanto pelo comportamento muito violento. Antes da semana abençoada, só Deus sabe quantas marcas a mais de espinhas - lê-se crateras - surgem no meu rosto, e como desesperadamente precisamos de algo para extravasar. Nada que a Claudinha Leite possa ajudar, evidentemente. De onde ela tirou que liberar e jogar tudo pro ar balançando retardamente os braços deixando em evidência a pelanca faz você se sentir melhor?
Descobri recentemente (ontem) que o [adult swim] - desenhos adultos (NOT) que passavam no Cartoon Network na madruga - possui seus próprios jogos e digo mais caras amigas: muito nice. Incluem "Five Minutes To Kill (Yourself)" que você trabalha num escritório e fica puto e tem que se matar em 5 minutos. É tão agradável meter o grampeador na cabeça, e pedir pra te baterem se vestindo de Piñata e se eletrocutar, mas não pense você que é facil fazer tudo isso em 5 minutos. Mas ta aí uma boa idéia pros suicidas, joguem e descubram idéias sensacionais pra se matar.
Tem também um que você é uma prostituta e tem que matar prostitutas zumbis e ainda assim dar tapinhas na bundinha pra atrair uns taradões de sobretudo pra dar - :O - pra eles no trailer, WEE! Mas meu preferido de verdade é o "Viva Caligula" que você encarna um romano very crazy que sai matando todo mundo e digo mais: tem a sua disposição serial killer um teclado inteirinho de armas pra coletar e seus berros à la 300 MADNESS? THIS IS TPM!!!!! te dão pontos. Isso amigas! GRITEM E GANHEM COM ISSO! É quase uma D.R. que você ganha gritando coisas sem sentido, como na vida real, só que isso te atribui um especial pra insanamente destroçar romanos inofensivos. Quão maneirasso?!?
É diversão saudável que não acaba mais. Assim deixamos de lado aquelas TPMs chatas ouvindo música fossa tomando vinho. Não dá pra viver com TPM fossa. NÃO DÁ.

domingo, 10 de maio de 2009

NÃO SEI

Eu quero muito, muito escrever mas não acho nada pra escrever. Nada que não seja reclamação, declaração de amor ou tortura suicida. Ai que tragédia. Eu to em casa e comi agnolini (google it), coisa que não comia há muito tempo. Ontem a gente entregou nossa primeira reportagem com uma fonte oficial, e eu confesso que foi deveras feliz pra mim conseguir essa entrevista. Afinal, eu pensei que nós não conseguiríamos. O tio Ric disse que eu saí com um sorriso imenso no rosto no final da entrevsta - eu não conseguia me conter. Eu fiquei feliz mesmo, mas ninguém quis ouvir minha história, nem meu pai. Nem meu pai que pergunta diariamente "o que eu fiz na aula hoje". Ele não quis me ouvir. Ele nem perguntou de novo, e eu sabia que ele não estava ouvindo quando eu parei a história pela metade na fila do restaurante.
Eu quero sair daqui e ler, ler, ler e ler até acabar com aquela história chata pra começar o livro seguinte, mas eu tenho preguiça. O livro é muito chatinho e a protagonista só faz reclamar a narrativa inteira. É muito chato quando alguém fica reclamando muito, não é?  Eu acho demasiado chato, mas eu adoro fazer isso. Na verdade, a protagonista não reclama, só; ela choraminga. E choramingo é algo que me deixa possessa. 

quinta-feira, 7 de maio de 2009

blink-182, make me proud!




Meio tenso. Não falei uma única palavra sobre Blink-182 desde que eles voltaram. Óbvio que eu fiquei feliz, inclusive teria ralhado com Jézinha por me mandar uma mensagem 3 da manhã relatando o acontecimento. Acontece que esse é um assunto que me afeta. Não ligo que não gostem, não mesmo, mas pra mim blink sempre foi uma banda verdadeira. Não por eles estarem fazendo algo sério sem intuito de ganhar dinheiro - não sou tão inocente assim - mas por ter toda uma dimensão de amizade envolvida. Amizade não se põe à prova, não se mede e não se trai. Por eles eu continuo menininha imbecil de 13 anos vomitando clichês sobre amor a bandas. Acredito sinceramente que com a desenvoltura sensacional dos 3, voltará com tudo, mas, não vai voltar a ser a banda da minha vida. As vezes eu até penso se eu queria realmente que eles tivessem voltado. Como os Beatles - não que eu goste -, Mamonas Assassinas - adoro - acabaram too soon, mas acabaram no momento certo para serem lembrados com fervor pelos fãs. Eu suplico encarecidamente pra que eles não estraguem a memória extraordinária que tenho deles. Dessa vez não. Quem vai pagar é meu pai. Na pele, só sai a laser.

terça-feira, 5 de maio de 2009

com classe

Faz séculos que eu não saio de casa pensando em causar. Tipo, não causar de subir na mesa e dar em cima do palco. Mas, tipo, causar de sair e beber. Beber antes de sair. Eu tenho um puta medo de causar depois que eu fodi meu fígado misturando vodka de três reais com cerveja de 8 reais: não rola mistura de classes sociais. O fígado não aceita e você vomita amarelo no outro dia. Ou seja, você está vomitando o fígado, fora de brincadeira: o fígado. E quando o fígado vai, não é só a dignidade que vai junto, é a falta de confiança em causar com classe. De beber, ficar no brilho – eu disse classe.

domingo, 3 de maio de 2009

Carta pra alguém bem longe

"O que eu fiz em uma semana? Morri. Morri de verdade. Morri pra vida e isso não é redundante. Eu quase não senti falta de nada. Descobri que hipocondria é uma doença – e isso também não é redundante. Sábado passado eu conheci os amigos do vizinho do 13º andar. Bêbada de um pub irlandês do lado de casa. “Te quero gata”. Deus salve a falta de dinheiro que não permite que a gente gaste mais do que tem em Heinekens. Ou não, nem sempre é assim. Se eu tivesse bebido mais três mili-goles de cevada eu provavelmente estaria sem útero e sem faringe (sempre isolam a faringe). Domingo eu morri e adquiri óculos: de grau. O computador me deixa cega e meu olho coça: de verdade (e uma pitada de hipocondria). Ler no escuro me faz cega, mas ainda não tenho coragem de sair com armações vermelhas na cara, digo, rosto – face, talhada em mármore. Ou pedra sabão. Pressenti a doença iminente no domingo e me abasteci de tylenol: o remédio que sempre, sempre me fez mais feliz. Mas o pobre coitado não foi suficiente e eu passei dois dias de cama. Afinal, finalmente eu tenho uma cama e eu suspeito que ela seja grande demais e por isso que eu não tenho dormido bem. Nem com tylenols. Não, eu não venho me dopando pra dormir – isso não adianta. Passei uma semana com dor de cabeça que não vai embora. Segundo minha mãe eu sempre fui assim, mas eu receio que não. Eu acho que é dor de amor e eu já disse isso à você. Na quarta eu fiquei feliz, quase sorri. Comprei abacate verde a fim de fazer guacamole. Comprei bolo de chocolate: de ‘negrinho’. Você não faz idéia do quanto é bom dizer ‘negrinho’. Nos últimos dias eu tenho tido vontade de voltar a pé pra casa e depois de três minutos voltar correndo pra minha casa. Na verdade, neste ano, eu tenho sentido que ele (o ano) não existe de fato. Acho que é por causa do nove. Prefiro o oito. O ano novo já faz tanto tempo e o Natal já é daqui a pouco. No meio do ano a gente quase nunca sabe pra que lado contar. Eu tenho preferido contar pra frente e feriados nunca foram tão angustiantes. Quando eu vou ver você de novo? Na quarta meu sorriso foi iminente, me atrasei pra aula,por você, mas eu desejei estar nela: era Fotografia. Já disse que é minha nova paixão? Meu novo quase amor? Eu amo fotografia, agora. Mas fotografar, revelar e ampliar. Você não tem idéia do quanto me fez feliz tropeçar no escuro, na luz vermelha. Nas pessoas, nas paredes. Felizmente eu não tropecei nos químicos, eles estavam seguros. Eu fiz só uma ampliação de foto, que nem era minha. Mas me feliz, de verdade. Agora eu quero sair fotografando com máquinas de filme em preto e branco. Só pra voltar no laboratório, ouvir jazz e ficar tropeçando nas coisas enquanto eu conto “um minuto e meio, trinta segundos e dois minutos”. Eu escrevo os números por não gostar deles em algarismos. Se eu posso escrever, quero escrevê-los também. E você que não aparece? Tenho tantas novidades da minha semana ermitona. Na quinta feira eu tive uma intoxicação alimentar, que perdura até hoje. Suei frio na madrugada – sozinha. Quase vomitei no carpete, mas eu estava sã o suficiente pra saber que meu apartamento ficaria inabitável até para mim. Eu tenho lido muito, de novo. Li um livro pra pessoas de treze anos, muito bom e acalentador em menos tempo que eu leria antes do domingo passado. Você percebe que eu sumi, não é? Mas eu tenho pensado em você cada segundo daquele livro e de meus passos. Tudo bem, eu não tenho andado muito. Mas eu sonhei com você várias vezes."

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Insônia.

Faz no mínimo 3 semanas que eu não tenho hábitos normais de gente normal. 2:14 e nada de sono. Não é grande surpresa na verdade, já que eu cheguei da faculdade, coloquei um short e capotei no colchão. É minha cama ainda está sem estrado. Apesar do meu pai ter reprimido, minha mãe, a tia do Garcia e a minha amiga. Primeiro que eles não permitem que se transporte estrados no metro, o que é o absurdo, ja que a coisa mais normal são pessoas com sacos gigantescos de lixo transportando sei lá o que - prefiro não descobrir tipo, nunca - ocupam tanto espaço e fazem tanta arruaça quanto um estradinho. To me sentido seriamente unhealthy. Parei com a coca - cola plz - e com miojo na manteiga. Eu odeio miojo. Entretanto só ele me acalenta nessas noites gulosas de quase inverno. Tipo, fica pronto em 3 minutos. Não é de Deus. Miojo não é coisa de Deus. To sentada com o cabelo ensebado - lê-se 2 dias sem lavar a cabeça - vendo L.A Ink. A Kate Von D é fabulosa. Não é qualquer um que tem colhões pra tatuar a cara. Katy, tipo: tatuar a cara, velho, o que você tem na cabeça? - além da tatuagem óbvio.
Preciso fazer dieta. Ou voltar a jogar alguma coisa. Ou voltar a fingir que faço academia. Uma mão na roda será amanha que marcamos um jogo de futebol com as meninas do PPAids - brinks inimigs -, aquela rivalidade gostosa (saudável) que com certeza vai render alguns úteros quebrados e ovários roxos. Claro, até descobrirmos que não se pode relar a mão na bola, que chutar o ar não da pontos pro seu time, e que não é pra fazer gol onde sua goleira está nossos cheerleaders já terão a muito deixado a quadra.
Você percebe que sua vida não está tomando os rumos que devia quando você se vê repetindo as falas do Peter Griffin, falando que não aguenta mais ver o Virgem de 40 anos, Alpha Dog e Tropa de Elite. God bless TeleCine Pipoca que permite que eu e o Garcia continuemos na atividade. Filme dublado não dá. Só permito a dublagem sensacional dos Clássicos Disney. Nossa, viajei.
Morri.

quinta-feira, 23 de abril de 2009

To puta.

Com essa vida e com esse frio. Sempre assim. No verão/ outono quente você fica 24 horas por dia reclamando da bosta do calor e dos cornos dos pernilongos. Quando vai chegando o frio você fica pagando de boy na sacada com uma caneca de café, fumando um cigarrinho de pantufas, abafando. Mas o que você não sabe, é que eventualmente você vai ter que dormir. E acordar cedo.

Eu sou uma pessoa que reclama. Passe um dia comigo e de 10 em 10 minutos eu vou reclamar do frio, do calor, da sede, da fome, de dor, da cólica menstrual, intestinal, renal, da política, do preço da esfiha de cheddar com pepperoni, da frieira, do calo, do cheiro, do barulho, do tamanho do lanche, de acne e de oleosidade. Eu sou muito chata. Mas o inverno me transforma num ursinho oriental calmo e buni - contanto que eu esteja enclausurada no meu edredon da Minnie vendo Família da Pesada pela trigésima vez e comendo Habibs. Mas uma vez que me tiram desse estado de equilíbrio eu fico puta. Sério.

Odeio sentir calor, mas odeio muito muito mais sentir frio. No calor compre uma coca gelada, pegue o jornalzinho do metro pra se abanar e fim de papo. E no frio, comofas? Calor humano? Quem diabos vai querer te dar afagos 7 horas da manhã numa aula de sociologia? O Lira? NÃO. As pessoas se odeiam 7 horas da manhã. Ningué é feliz 7 horas da manhã. NINGUÉM.

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Oi rotina

Semana de provas cansa muito. Tive prova todos os dias essa semana. Tenho trabalho até a putaqueopariu e não consigo me concentrar, to super sem noção me sentindo uma gorda inchada pq to 'naqueles dias' e mimimimimimimimimimimimimimimimi. Quero que chegue sexta-feira logo pra mim não ter NADA pra fazer e chegar sábado às 6 da manhã na rodo Tietê e preparar drinks de morango pra galere - finge que eu sei fazer isso.
Odeio história do Brasil. Odeio ditadura militar. Tenho um debate super-avaliativo amanhã e to SUPER sem vontade de fazer. Mas eu já fiz uns resumos, tive umas luzes bem legais no Wikipedia (tequieroputo). To com sono, tenho que acordar 7 da manhã amanhã pra tomar MUITO café, lavar a louça de segunda-feira,comer torradinhas, lavar a roupa, assistir Mais Você, estudar pra prova de Cultura Religiosa, Estudar pro Debate, ir no Médico, tomar banho e ir pra Faculs. Voltar pra casa, dobrar a roupa, comer, olhar TV, entrar no msn, ouvir Pussycat Dolls, dormir. TIPO to sobrecarregada. Mas eu tava tão entediada que vim aqui dividir minha rotina. Se bem que eu deveria ter medo dessas coisas. ESSAS PEOPLES stalkers aqui, mó medinho mimimi. Foda-se. Beijos.

sexta-feira, 10 de abril de 2009

PARABÉNS AMIGS

OMG.
Não, Bá, eu não esqueci de você. Não teria porque esquecer. Você espera um post bonito e que faça você chorar? Eu to na TPM, isso faz você chorar? Não né. Falar de TPM no dia que você se torna uma ADULTINHA não é legal. Você não merece.
Bá, minha cat. Você merece tudo nesse mundo. Tudo que você quer, todo o necessário que você precisa.  E você sabe que eu tô aqui, do seu lado, pra tudo que você precisar e pro que não precisar. Pra fazer você feliz e pra chingar você na Chilli Beans. Pra apertar seus bacons e fazer tranças embutidas na cabeça. Você sabe que eu tô aqui, pq você me faz feliz.
Você é a melhor pessoa que eu conheci. Você se dedica àqueles que você sabe que merecem e você va até o inferno por eles. E eu amo você por isso, porque você é minha amiga e você faz tudo o que ninguém faria por mim; eu não seria a mesma sem você, sabes disso.
Se eu estiver morrendo é você que injeta um pouco de vida em mim e me faz rir. E se você estiver morrendo eu chuto você e mando você parar com essas coisas de mulherzinha – e aí você ri. Claro que não é assim, não literalmente – e nem fisicamente –, mas é assim que a gente se dá bem e continua vivendo. 

Agora você não precisa mais de documentos falsos, e a gente pode ir no Bar Russo esfregar seus DOCs originais na cara do segurança. POR QUE ELE É FEIO E NÃO MERECE VIVER.

Bá, PARABÉNS MEU AMORZINHO!

Semana que vem eu vou até sua casa pra nós comemorarmos seu aniversário (atrasado) mais uma vez juntas. Eu amo você :)

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Quero aparecer

Quem tem um blog é pq quer aparecer. Quem tem blog sempre fala um pouquinho de si. Quem fala um pouquinho de si quer aparecer. Essa gente que fica dando opinião sobre qualquer coisa (e é isso que nós fazemos aqui) quer aparecer. Na verdade, quer mais falar que aparecer - se quisesse aparecer, sim, pendurava uma jaca na orelha. Quando a gente vem aqui e fala dessas coisas que todo mundo pensa e ninguém fala é porque a gente quer aparecer. Eu quero muito aparecer, é verdade. Mas eu quero aparecer falando, e não fazendo os outros falarem. Um dia eu talvez quero ser um meio de os outros falarem, mas primeiro eu quero aparecer e falar. E mandar todo mundo a merda e dizer coisas que ninguém quer dizer.
É por isso que às vezes eu venho aqui e falo qualquer coisinha assim, porque eu quero que tenha uma repercussão (zinha) que seja. Quero que venha alguém e diga RI MUITO, ri litros, ri militros. Eu quero aparecer de verdade. É por isso que eu faço o que faço na faculdade, mas eu nem gosto não de ficar entrevistando gentes, por que eu sou muito egoistinha ainda (e deveria ser o contrário) e quero que as pessoas me leiam.


Não é pretensão,l to só abrindo meu coração. Quando a gente põe o coração no meio, todo mundo releva. Relevem e me leiam!

EU FICO PUTA COM GENTE MAL VESTIDA

Porque tem gente que se veste mal, na boa? Como alguém consegue fazer aloca e sair vestindo pele de cobra com tafetá neon e uma banana na cabeça? Sabe, nem é por ter espelho em casa e mimimi, mas é noção de que causar tem limite. Usar legging de vinil de oncinha: DE BOA. Usa legging de vinil de oncinha plus tênis de luzinha da hellokitty e coletinho xadrez quando você pesa 91 kg: NÃO ROLA. O BACON SALTA. Na moral, se você pensa em misturar texturas assim e mora sozinho, não tem pra quem perguntar “e aí cats to bem?” compra uma web cam e chama a mãe pra perguntar coisas do tipo “Mamis se eu sair assim você me cata na balada?” – NO INCESTO, PLZ, maneirem cats. Pode ser que sua mãe tenha te influenciado a sair assim, mas aí vai rolar aquela inveja de mãe (inveja branca) minha-filha-tem-o-tenis-da-hello-e-eu-não e ela vai dizer pro filho feio “na moral, não sai assim não”.
É o que eu penso. Se você ta acima do peso (três quilos acima do peso JÁ é estar acima do peso, não tentem encolher a barriga – bem eu sei) não use aquelas calças de super cintura baixa. Agora na C&A moda pra diva pobre de departamento, quando você escolhe uma calça, vêm aquelas etiquetinhas dizendo se é justinha, cintura baixa, SUPER cintura baixa e se o cofre fica fora se você sentar. Levem as dicas a sério. Não adianta comprar um número maior, não adianta nada, não adianta simpatia, não adianta cinta pro bucho: SUA BARRIGA VAI FICAR NUM SUPORTE PRA BUCHO. Você vai ficar com super catupirys na lateral, você não vai estar seduzindo, ninguém vai querer catar você sóbrio – bêbados não são meu departamento. Você vai estar feio. Não custa comprar uma calça com cinturinha mais alta. Dois centímetros fazem a diferença no cós. É pro bem de vocês. Não é preconceito com gordo, não quero desprezar minha classe nem nada, mas as sábias palavras de BáRosa disseram certa vez: “Sabe como você faz pra saber que ta gordo e a calça não te serve mais? O COFRINHO TÁ DE FORA!”.
EU FICO PUTA COM GENTE MAL VESTIDA.

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Ri muito.

Notei que paulistas fazem coisas engraçadas em um timming bem menor que o resto da sociedade faz - sem perceber - mas hoje superou as expectativas. Podem empurrar senhoras deficientes no metrô (potenciais jogadores de futebol americano), se masturbar na lotação de sobretudo, fumar maconha na frente do Extra, jogar cinzeiro de vidro da janela, enfiar a bengala no dedo alheio, chutar mendigos e até dar dinheiro pro flautista alemão que desrespeita inocentemente a cultura germânica, mas dormir na escada rolante NÃO DÁ. Tipo, não dá.

terça-feira, 31 de março de 2009

Secando no Shopping

Eu sequei (sexualmente falando) dois meninos na praça de alimentação hoje. Eles deviam ter 16 anos - e eu já estou pagando o asilo. Eles perceberam que eu os estava secando (sexualmente falando). Mas, sabe, quando você seca as pessoas e nem percebe? Eu estava secando eles e nem percebi. Achei eles bonitos de verdade. Um tinha um cabelo sedozo, no maior estilo Hugh Grant, e eu não dou três anos pra ele estar secando gente muito mais bonita que se faz perceber. O outro era japa, mas japa mesmo, cabelo de japa from Tokyo, seduzindo sem querer seduzir - e me seduziu. Eu fiquei olhando pra eles enquanto eu tentava comer minha metade de Subway por R$ 5,95 e eles perceberam. Se cutucaram mutuamente com os cotovelos: "Tem uma idosa nos secando". Foi constrangedor. Eu achei muito constrangedor, afinal agora eles vão achar que idosas que comem Subway se babando estão super afim deles. Quando eles me fitaram por mais de 30 segundos eu achei que tinha uma azeitona pendurada na minha testa, e eu até chequei, mas não tinha. Acho que era só emoção deles, afinal, a gente fica emocionado quando é secado assim, por pessoas que comem Subway se babando no shopping.

domingo, 29 de março de 2009

Pro(ó)-crime Part I.

Sabe aqueles dias que você acorda meio bizarrão, se olha no espelho e diz: hoje tô pô crime.Toma aquele banhão, manda um engovão e pega o caminho da roça. Perigoso, muito perigoso. É evidente que todas as pessoas que fazem isso, não sabem que miopia e jurupinga não te ajudam a ver claramente no meio do psytrance loco, e que gente feia não é bonita.
Simples assim, queridões. Não é uma convenção da sociedade, esse argumento não vale. A pessoa é zoada e ponto. O cara chego em você, ta sem fazer nada mesmo, se perdeu das amigas. Calma, momento de fraqueza. Da uma olhadinha de fianco no meio da galere e tente achar alguém que você conheça. Se for inevitável pega rapidão que ninguém fica sabendo. Só pra afagar o ego. Lembre-se de falar algo engraçadinho pro sujeito rir e você dar uma conferida nos dentinhos (a.k.a: contá-los). Basicão assim né hehe. Ai a hora que passar aquele cats, faz aloca, grita estupro e cata no braço dele: tipo, não AGUENTO mais esse stalker me salva.
Aquela altura da festa que o guardanapo já viro bolo faz tempo, você chega no bar e as seguintes opções: "saquê com kiwi ou morango" (de viadinho) "sex on the beach" (tipo: MUITO gay) "cosmopolitan de framboesa" (uber homo), "jurupinga" SUMEMO. Gente, anota na caderneta, jurupinga BAD. O nome é engraçadinho, tem gostinho de martini barato, mas meu jurupinga BAD. Palavras do Clint Eastwood que faço minhas. Ninguém é macho o suficiente pra beber isso e não arcar severamente com as consequencias.
Depois daquela abastecida aquele momento que todo mundo quer fazer o Justin Timber e quer arrasar na dance floor exibindo o rebolation que você aprendeu no youtube. Alguém precisa te falar que tá causando e pagando um puta vale? Não né, esse tipo de coisa fica meio que subentendido. Então fica na sua. Ninguém quer saber se ta tocando Gaiola das Popozudas - "A Porra Da Buceta é Minha" ( =( ). Serião.