segunda-feira, 30 de junho de 2008

Muito feios.

Eu to rindo muito aqui,puta merda!
Semelhança tão simples,sabia que o Tarantino me lembrava alguém (NS).

Por favor,alguém concorda comigo que eles são muito feios e muito iguais? Jordan Do NFG, nosso ilustríssimo Sir Samuel Rosa (parente) e o incrivelmente bem dotado (entenda como quiser,e vá a merda Berger,eu amo os filmes dele) Quentin Tarantino.
CHUTA QUE É MACUMBA!

sexta-feira, 27 de junho de 2008

rOOTS

Me sinto ASSAZ Reggae Roots-paz-de-JAH-Inxalá ouvindo Bob Marley. De verdade, me sinto felizinha :D
Estou de férias. Com mensão honrosa: terminei duas cadeiras com nota dez. Muito dígno pra quem só fazia quatro cadeiras e nothing more? Eu acho (Obrigada Papai).
Agora tenho novos propósitos de vida. Tipo, dirigir uma carroça e fazer um documentário. Na verdade, a parte da carroça eu excluo, uma vez que meu maior medo em vida é passar perto de Cavalos. Detesto os eqüinos - menos as zebras (porque elas têm listrinhas fabulosas). Não é um exato MEDO é mais desprezo do que medo. Afinal, não tenho medo de nada. EU DJUUURO pessoal.

Deu, cansei. To sem graça hoje. Tipo, fico chapadona ouvindo Bob Marley e Jack Johnson constantemente. É psicológio esse negócio de maconha PLUS reggae. Vão por mim seus lariquentos do inferno.

segunda-feira, 16 de junho de 2008

Tristeza

Tendo em vista o meu comportamento supostamente suicida dos últimos dois dias, eu veio por meio desta, fazer um comunicado extra-ordinário e dizer que Eu Estou Bem! Podia estar melhor, é claro. Eu poderia estar nas Bahamas ensolarando minha cutis, e eu poderia estar em Londres abraçando a (god save the) Queen; mas eu estou aqui, sentada nesta cadeira dura e tremendo mais que vara verde. Minhas unhas fluorescentes estão descascando, minha pele está descascando, meu cabelo está escamando e meus pés estão gélidos. Mas eu estou bem! Posso repetir novamente de pulmões inflados que eu estou imperfeitamente bem.

O negócio é a filosofia de vida Elizabethtown - que a SANTA Claire diz pro Moribundo que ela é apaixonada (o Orlando Bloom): algo como nós termos de aproveitar a tristeza. Chorar os tubos, sugar o choro de onde você nem ao menos imaginava. Chutar o ar e gritar pra ninguém ouvir. Depois do tempo suficiente de tristeza aproveitada (e não estancada no coração) você descarta. SIMPLES como a água: Descarta.

Trizteza é resignação, não esqueçam garotos.
Confesso que chorei litros; e, mais uma vez, eu só tenho a agradecer a você Bá. A única pessoa (que não me pariu ou me gerou de forma direta) que realmente se importa. É por isso que eu amo você amiga.

quinta-feira, 12 de junho de 2008

Aos pombinhos,ou não.


Seria boa samaritanagem (?) fazer uma singela homenagem aos namorados, ficantes, peguetxis, mesmo não tento um (encalhada-da-da). O que realmente me incomoda nessa data, é que ...não sei, as pessoas se dão presentes.E bom, eu curto presentes. Vocês não entenderiam mesmo com a minha explicação que eu faço questão de tentar elaborar. É uma simples questão de ser irmã do meio, e única irmã. O primogênito, é mimado as fuck até quando nasce o outro filho, que no caso seria eu - hehe - então os pais semi-maduros percebem que não querem cometecer os mesmos erros como cometeram com o primeiro, e assim, passam a ser duros com o outro, a situação só piora quando finalmente surge o caçula, das cinzas. Então os pais super preocupados com a índole do recém nascido e observando atentamente o comportamento bizarro do filho do meio,do qual exigiram tanto, procuram fazer tudo para o caçula de modo que ele não sofra tanto quanto o do meio sofreu. Seria engraçado se EU NÃO fosse filha do meio. Apesar de menina, sempre sobra pra mim, e eu estou acostumada a ser extremamente carente, tanto de amigos quanto de familiares. Isso explica minha revolta por não ter namorados e não ganhar presente - mais importante, fruto das minhas linhas apositivas na tentativa um tanto quanto falha de fazer valer meus argumentos sobre minha subconsciente loucura de querer presentes em todas as datas, incluindo Dia das Mães e Dia da Santa Rita de Cássia. Eu vejo todo mundo dando (risos) e recebendo nesse dia de celebração tão contagiante, que eu notei que preciso de um companheiro pra ganhar uma bolsa. 350,00, preta, pode manda hoje =*. Com um champagne e uma caixa de Ferrero Rocher. Eu cometi a gafe de não fazer a homenagem porcaria nenhuma,mas foda-se, o Paolo me entende.Mas mesmo assim, parabéns aos namorados que conseguiram arrumar namorados e assim falar pra todo mundo hey eu tenho um namorado e quando chega alguém e fala quer ficar comigo tu responde EU TENHO NAMORADO TU NAO SABE e tambem aos namorados que pagam cervejas e bolsas pras namoradas parabens,estraguei o post ne?
Jura que a modelo da foto é a Jé e o guri que tirou agressivamente o bv dela.

terça-feira, 10 de junho de 2008

My last request: Paolo,pare de me deixar blue,isso é feio.


Quando li o post da Jézinha de baixo,me veio algo na cabeça. Escrevemos exatamente a mesma coisa em nossos respectivos textos homossexuais (é necessário que eu me explique novamente?).Falei inconscientemente de Norah Jones (Mulheres Apaixonadas,acho que a primeira música do cd é a dela),e citei nosso deus escocês a 4 gerações longe de sua Terra Madre,a sedutora Itália,hum Giovanni.Juro que se não fosse minha vontade louca de ler um dos meus 52 livros que eu tenho que terminar até ONTEM e estudar mais sobre a formação geológica da Austrália,cativante on a wrong wrong way,eu continuaria por horas a descrever o cuerpo previlegiado do Pá.Só queria fazer uma observação de conhecimento geral.
E a Jé não apareceu pra fala: Bá tive diarréia te amo.

domingo, 8 de junho de 2008

AH

Música que me deprime mais que Paolo Nutini é quase impossível. Mas tem uma cantora semi-indiana que quase me deprime tanto quanto o sábio escocês Paolo Nutini e seu cigarillo de mary jane (ou serááá que não): Norah Jones. Menines, eu confesso NORAH me entende. E se ela continuar me entendendo dessa maneira nos momentos mais árduos (os quais eu enumeraria aqui e agora, se não fosse me tornar exacerbadamente vulnerável e minhas bochechas extremamente vermelhas nos próximos anos, meses, dias, horas e minutos da minha vida semi-infeliz) eu mudo o nome da minha filha de Donna Louise (não copiem plz) pra Norah Louise (lindo /risos). Foi péssima, mas eu estou digamos que carente demais para qualquer piada que mova músculos e gargalhadas das bocas alheias. Ou de nenhuma porque não temos, afinal, um número estonteante de visitantes que lêem e comentam e dizem "eu amo vocês garotas". Mas eu não me importo, só ressalto porque seria fabuloso - e meu ego poderia muito bem ser afagado.

Sabem, mesmo sendo assim arisca têm momentos que eu realmente gostaria de ter a minha auto-média-quase-nula-estima afagada por uma pessoa que goste e (muito importante) saiba como fazê-lo. Por que eu tenho, acima de tudo que eu não transpareço ser, um coração mole e que bate dentro de mim (anotar: preciso parar de ouvir The Used s2). E como podem perceber, apesar de estar desesperada por amor-carinho-compaixão e quaisquer adjetivos lindos de livros românticos da cabeceira da sua mãe de mais de 40 anos (amo você mami), não é qualquer coisa que eu desejo. Por exemplo, eu ficaria feliz até dizer chega se a Bázitcha estivesse aqui e agora para nós sentarmos na sacada e tirarmos fotografias tremidas do pôr-do-sol lilás que eu tenho vista aqui desse lugar mórbido, tomando champanhegne barato de R$ 4,00 e, depois de quatro engradados de 167 garrafas, ficarmos bêbadas o suficiente para pegarmos uma caixa de sapatos e escrevermos "aqui tem uma bomba" levarmos pro correio e colocarmos como destinatário EUA - Torres Gêmeas e depois sairmos correndo loucamente com cuecas na cabeça e ficarmos rindo do lado de forra dos Correios com plaquinhas com as sábias palavras RISOS e BRINKS... mas sabem, não é isssso e eu queria exatamente agora (mas eu te amo do mesmo xeitxinho Bazinha). Eu queria uma taça de vinho de 78 litros e um telefone pra ligar e dizer i'm here, i'm fuckin' here bitch.

sexta-feira, 6 de junho de 2008

ÊÊÊEÊÊ^^E

MANO EU AMO VINHO!!!!!!

"JÉSSICA NÃO DEFENDE ELE"
EHEIUHEIUHEIOUEHIUHEIUOHE
HEIHEIUHIUOHEUIHIUEHUIEH
EHIUHEIOHEIUHEIUHEIUHEIUHIUE
HUEUIHIEOUHEIUHIEUHUIEHIEUH

minha mãe sobre meu pai

"Jéssica, pergunta pra Bá se tem Pudim na casa dela"

minha mãe sobre a Bá


-> Quero beber vinho até morrer de alcoolismo (,mentirA)

quinta-feira, 5 de junho de 2008

I'm Gay

To tão depre que estou prestes a pegar o cd "Mulheres Apaixonadas Internacional" da Zelina e ouvir aqueles projetos de bossa nova,enaquanto tomo um banhão pra deixar a água quente cair sobre os ombros cansados de rapariga trabalhadora.Depressão pós TPM.Acho eu.
Acho que ninguém me entende tanto quanto o Paolo Nutini, juro que estou há umas 3 horas ouvindo Rewind e cada fez fica mais lindo.E não, não é falta de amor na casa, quando eu cheguei minha mãe me fez um cafuné, e ofereceu um cantinho aconchegante no cobertor.
Ficar 'blue' é coisa de gente que não tem o que fazer, estou sentada aqui faz menos de uma hora e até agora não procurei um motivo pela minha tristeza súbita, por preguiça claro, mas eu não quero melhorar.É uma tristeza gostosa, não sei explicar.
Meus posts tão muito gays ultimamente.Frizando novamente que nada tenho contra os gays,amo vocês,e como já diria Jé: homophobia is gay.Tenho que parar de ficar me justificando, vai parecer que eu sou gay. Meu Deus que ciclo vicioso HEUIHEIOHE
To com problemas.

Picking up the pieces
Of the wreck you went and left
And I'm dealing with dilemmas
In my now so stressful life
And I'm drinking stronger spirits
I made my home here on the floor

And I'm losing all ambition and goals
And i'm going all out
And i'm thinking you're just as bad

No sleeping at night
But I'm going from bar to bar
Why can't we just rewind
Why can't we just rewind
Why can't we just rewind

terça-feira, 3 de junho de 2008

29/5: UM BREVE RELATO


Ninguém aguentava mais eu falar dessa bosta de show,desde abril.Nem meu pai por mais que trabalhe o dia todo e só me de atenção de noite enquanto eu estorvo seu jantar,e ainda sim 100% do que eu comentava tinha a ver com meu destino no próximo mês.Chegou a semana do evento e eu não conseguia prestar atenção na aula, mas de jeito nenhum. Quarta feira eu fiquei tão feliz de acordar 6 horas da manhã pra me vestir e ir ao colégio logo pra chegar logo em casa,pegar o onibus e me escafuder pra São Paulo,onde mais tarde mal sabia eu que encontraria uns 'velhos' amigos,tomaria Leonoff com Toddinho,que por milagre divino faz um arroz delicioso.Fiquei o dia todo sozinha no apartamento,encomodei um pouco a Jé via celular e finalmente comecei a molhar o figado.
2,3,4 copos.Caio me ligou dizendo que ia se atrasar,dai eu: WTF VAMO PERDE O SHOW.Saimos de casa esquecendo metade das coisas,mas conseguimos chegar a tempo.Eu achei que por engano estivessemos ido parar em alguma balada GLS, porque, puta que paril, aliás, não tenho nada contra homossexuais, fique bem claro.Só tinha gay naquela bodega.
O segurança nos reprimiu e mando a gente entra logo que já ia começar.Peguei o ingresso com os olhinhos brilhando e entreguei pra moça que me bolinou (juro que foi assedio sexual) alegando que tinha que me revistar (SEI SEI).Uma boa alma nos acompanhou até o camarote (é pai,eu não queria mas...) e sentamos ainda conversando,fomos, é claro os últimos a chegar.Eu juro que tava suando frio,eu dei uma miradinha no palco, e lá estava a bateria gay do gay do Rev.PEEEERTO.Muuuuuuuuuuuuuito perto.Quando me disseram a distancia do camarote eu achei que ia ver o Shadows do tamanho de um lego,mas foda-se. Pedimos uma cervejinha e conversando frenéticamente,eu Caio e Giovanna quando uma das guitarras se manifestou.O público foi a loucura,é claro,eu só virei pro Caio e disse: povo retardado,achando que é o Syn que ta testando,deve ser um mendigo que eles pegaram na rua pra testa antes do show. 5 segundos depois do meu comentario as luzes se apagaram e começou. COMEÇOU!COMO ASSIM?
Eu comecei a tremer e levantei bem devagar enquanto a banda toda ainda não tinha entrado.Os dois elementos que sentariam junto com a gente ainda não tinham chegado,mas eu juro que não tava nem ai,levantei e fui la pra frente pra ver a chegada triunfante do Shadows.Eu achei por um segundo que fosse desmaiar,e só não chorei de vergonha, e eu pensei: meu,eles não tem o direito de fazer isso,quase morri de ataque cardíaco,eles tem que botar uma banda pra abrir o show,pra amaciar o terreno,assim muito suddenly da problema no coração,não ta certo uma porra dessa!
"SHHHH BE QUIET YOU MAY PISS SOMEBODY OFF
LIKE MEEEE MOTHERFUCKER ..."
Eu não sabia se cantava,se tremia,se olhava pro lado,se terminava de toma a cerveja,se bolinava o garçom,só sei que eu não conseguia parar de olhar pro vocalista.Como a Jé ja comentou,eu me desapontei um pouco com a estatura dele, eu achava que ele tinha uns 1,85,quase dois metros mas acho que ele não passa dos 1,75. Chegaram então os dois elementos que sentariam junto com a gente,era dois guris aleatorios,cumprimentamo-os e continuamos a curtir o show. Acenderam um tabaquinho e EIS que surge um fininho na mão dos dois. OS GURI PUXARAM UM BANZA NO CAMAROTE COM 78 SEGURANÇAS.Aquela puta catinga de maconha e os seguranças passando,não sei se eu fui na alegria contagiante que os dois tavam,mas eu fiquei com um pouco de medo pela minha vida. Depois sai fora do camarote e fiquei no corredor pra não sobrar pra mim.
Algum infeliz jogo na cara do Shadows a bandeira do Brasil,e então o público percebeu que funcionava tacar as coisas na face angelical e na mão dele.Eis que surgem 20 mil camisetas no palco e o Shad perdido la no meio com cara de Brit (/RS):
- This is a REALLY sweatty shirt (pegando com a ponta dos dedos com cara de CREDO!,uma das camisetas do chão), lets all take our shirts off (cri cri cri,se soubessem do que se tratava teriamos um strip em massa).Então ele disse que tiraria a dele já que todo mundo estava tirando.
Q?
Eu surtei, a Giovanna quase derrubo a camera,a cerveja,quase capoto pra conseguir tira uma foto dele se despindo.Meeeeeeeeeeeeeeu Deus.Pulemos essa parte.
Depois d euma hora e dez de show eu juro que tava acabada,rouca,disvirginada (capaz) e bebada.

TAXI,metro,habibs,casa,morri.
Shad,te amo s2